07:33 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Por
    1102
    Nos siga no

    Após criticar filme da Netflix, Damares parece estar "sem tempo" para ver live do presidente Bolsonaro marcada por "piadas" de conotação sexual para menina de dez anos.

    Em entrevista ao Conversa com Bial, transmitida na quinta-feira (17), alguns assuntos sensíveis foram tocados com a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

    Contrária ao aborto realizado em menina de 10 anos, estuprada pelo tio desde os 6 anos de idade no Espírito Santo, Damares Alves acredita que a melhor saída teria sido uma "antecipação do parto", através de cesárea, mesmo a criança se encaixando no direito assegurado por lei para realização de aborto: estupro e risco à vida da mãe.

    Aproveitando o ensejo, o entrevistador Pedro Bial perguntou se a ministra Damares já "deu um pito" no presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que em live fez "piadas" de conotação sexual para menina de 10 anos.

    "Eu conheço o homem [Bolsonaro] que estava ali naquela live. É um homem que luta contra todos os tipos de erotização de criança, de banalização da pedofilia e de banalização da pornografia infantil", respondeu Damares, deixando claro que não viu a live por falta de tempo, mas que vai assistir.

    Confira trecho da entrevista:

    ​A falta de tempo da ministra, que teve tempo para criticar o filme "Lindinhas", da Netflix, não foi uma boa justificativa para muitos espectadores, que a levaram de volta aos assuntos mais comentados no Twitter, escrevendo mais de 15 mil tweets.

    Internautas começaram a postar de novo o vídeo de Bolsonaro fazendo "piadas" de conotação sexual para criança, e estão pedindo para a "brincadeira" chegar à ministra Damares.

    ​"Naturalização da violência."

    ​Será?

    ​Momento fanfic.

    ​Estão dizendo que nem a live nem o filme da Netflix foram vistos pela ministra, que deu atenção diferenciada aos dois casos.

    Mais:

    Damares omite dados de violência policial para blindar governo de protestos, diz analista
    'Cem Anos de Solidão': Gabriel García Márquez vira série na Netflix
    Campanha 'Tudo tem seu tempo' não trata de 'abstinência sexual', defende Ministério de Damares
    Tags:
    Brasil, Bolsonaro, filmes, Damares Alves, netflix
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar