05:48 28 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    83910
    Nos siga no

    O ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta sexta-feira (11) que o presidente Jair Bolsonaro preste depoimento presencial na investigação que apura suposta interferência na Polícia Federal (PF).

    O inquérito foi aberto em maio a partir das acusações do ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, de que o presidente Jair Bolsonaro estaria interferindo na PF.

    Celso de Mello negou que o presidente preste depoimento por escrito e afirmou que esse tipo de depoimento só é permitido aos Chefes dos Três Poderes da República que figurem como testemunhas ou vítimas, porém o depoimento deve ser presencial quando ostentem a condição de investigados ou de réus.

    "Idêntico pedido formulado pelo então presidente do Senado Federal (e do Congresso Nacional), que figurava como investigado em determinado procedimento penal, foi-lhe fundamentadamente negado pelo eminente e saudoso ministro Teori Zavascki", relembrou o ministro Celso de Mello em sua decisão, citado pelo portal do STF.

    O ministro disse que a decisão já se encontrava pronta em 18 de agosto, mas precisou ser internado e só pôde assinar o documento nesta sexta-feira (11).

    Além de marcar a data do depoimento, a PF agora também deve elaborar um relatório com as informações obtidas nas últimas diligências.

    Mais:

    Moro diz que Bolsonaro pediu PF no Rio: 'Você tem 27 superintendências, eu quero apenas 1'
    Celso de Mello, relator de inquérito que investiga Bolsonaro, tira licença médica do STF
    PGR pede novas diligências em inquérito sobre interferência na PF
    Bolsonaro diz esperar arquivamento de inquérito sobre interferência na PF
    STF autoriza depoimentos de ministros sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF
    Celso de Mello prorroga inquérito sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF
    Tags:
    Sergio Moro, investigação, interferência, Polícia Federal - PF, Jair Bolsonaro, Celso de Mello, Supremo Tribunal Federal (STF)
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar