09:10 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 22
    Nos siga no

    O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, negou nesta quarta-feira (2) o recurso impetrado pela defesa do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, para adiar o julgamento no Superior Tribunal de Justiça.

    O julgamento ocorrerá na Corte Especial do tribunal, formada pelos 15 ministros mais antigos da Casa. A sessão marcada também para esta quarta-feira (2) vai analisar a decisão da semana passada que afastou Witzel do cargo.

    Na avaliação de técnicos do STJ, citados pelo portal G1, são necessários dez dos 15 votos para que Witzel seja mantido afastado do cargo. O presidente do STJ só vota em caso de empate.

    Wilson Witzel foi afastado por 180 dias em decorrência da operação Tris In Idem, da Procuradoria-Geral da República (PGR), que investiga irregularidades e desvios de verba que seria usada na saúde.

    Segundo a PGR, o governador afastado tinha notas fiscais e comprovantes bancários que mostrariam que Witzel e sua esposa, Helena Witzel, pagaram sistematicamente despesas pessoais em dinheiro vivo.

    Mais:

    Governador do Rio, Wilson Witzel, é afastado do cargo pelo STJ e PF prende Pastor Everaldo
    'Há interesses que não me querem governando o RJ', diz Witzel em pronunciamento após ser afastado
    Ex-secretário de Witzel é preso no Rio de Janeiro após se entregar à polícia
    MPF chegou a pedir prisão preventiva de WIlson Witzel, diz procurador
    'Se Bolsonaro queria o Rio, agora tem', diz cientista político sobre afastamento de Witzel
    PGR diz estar 'convicta' sobre necessidade de prisão de Wilson Witzel
    Tags:
    Governo do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, saúde, desvio de dinheiro público, desvio de verbas públicas, desvios, corrupção, julgamento, Superior Tribunal de Justiça, Dias Toffoli, Wilson Witzel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar