08:57 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    374
    Nos siga no

    O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou nesta sexta-feira (17) que considera "justa" a criação de um imposto sobre transações eletrônicas, nos moldes da antiga CPMF. 

    De acordo com Mourão, a tarifa poderia ajudar a financiar o programa Renda Brasil, que o governo pretende lançar para substituir o Bolsa Família. 

    A possibilidade da criação do imposto voltou à discussão após o ministro da Economia, Paulo Guedes, sugerir a criação de espécie de nova CPMF.

    Na quinta-feira (16), ele disse que o governo pode incluir uma tarifa de 0,2% sobre transações eletrônicas na reforma tributária, que deve ser enviada ao Congresso na semana que vem. 

    Segundo Guedes, com o imposto seria possível reduzir cobranças sobre a folha de pagamentos. 

    Em entrevista para a Rádio Gaúcha, Mourão disse que, com a desoneração, "haveria uma oportunidade muito maior da criação de empregos formais", mas ressaltou que a decisão cabe ao Legislativo. Para ele, é preciso deixar claro as vantagens que o tributo traria. 

    'Não criar imposto por criar'

    "Eu acho que tem que ficar muito claro e não simplesmente criar um imposto por criar um imposto. Vejo que hoje a discussão está centrada em cima da desoneração. Então eu acho justo", disse.

    Mourão afirmou ainda que existem "uma série de transações eletrônicas que são feitas e não pagam tributos", e por isso poderiam ser cobradas. "Vamos lembrar que o nosso sistema tributário atual tem uma evasão, sonegação, de mais de R$ 400 bilhões. Isso é muito dinheiro", acrescentou o vice-presidente.

    Por outro lado, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou na quinta-feira, em entrevista para a GloboNews, que pretende recriar a campanha "Xô, CPMF". 

    'Ninguém aguenta mais impostos'

    A Contribuição Provisória de Movimentação Financeira (CPMF) foi cobrada de 1997 a 2007, ano em que foi lançada a campanha contra o imposto e o tributo foi derrubado pelo Congresso. 

    "Eu estou pensando em trazer de volta a campanha que o DEM fez 'Xô, CPMF'. Ninguém aguenta mais impostos no Brasil. Vamos cuidar da simplificação dos impostos, cortar distorções como o lucro presumido, entre outros. Agora, novos impostos, eu acho que a sociedade está cansada. E, certamente, vai ter muita dificuldade de passar na Câmara dos Deputados", afirmou Maia. 

    Mais:

    Mourão diz que Gilmar deve se desculpar por associar Exército a genocídio
    Proposta de criação da CPMF vai encontrar dificuldades de avançar, diz Maia
    Após proposta de volta da CPMF, secretário da Receita Federal é demitido por Bolsonaro
    Tags:
    CPMF, reforma tributária, impostos, tributos, governo, Paulo Guedes, Antonio Hamilton Mourão, Rodrigo Maia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar