03:51 27 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3011
    Nos siga no

    A Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) pediu ao governo federal a liberação de R$ 325 milhões para serem usados em ações de publicidade e relações públicas.

    Conforme publicou o jornal Folha de São Paulo, a justificativa seria uma tentativa de melhorar a imagem do governo do presidente brasileiro Jair Bolsonaro, tanto dentro do Brasil como fora do país.

    O pedido de verba teria sido feito no início de junho deste ano, dois dias após anúncio de remanejamento de R$ 84 milhões do Bolsa Família para ações da Secom – medida que foi revogada poucos dias depois após repercussão negativa.

    O montante solicitado pela Secom representa mais do que o dobro do valor previsto no orçamento de 2020 para a área de comunicação, por volta de R$ 138,1 milhões. O pedido argumenta que o aumento se deve à pandemia da COVID-19.

    Chefe da Secom, Fabio Wajngarten, no Palácio do Planalto, em Brasília
    © Folhapress / Pedro Ladeira
    Chefe da Secom, Fabio Wajngarten, no Palácio do Planalto, em Brasília

    Ainda segundo o jornal, no entanto, documentos enviados à Secretaria de Governo e ao Ministério da Economia apontam que a repercussão negativa de ações do governo dentro e fora do Brasil demanda "veiculação de pautas positivas".

    É diante disso que se pede a liberação de R$ 200 milhões em publicidade para ampliar propaganda em mídias regionais. Além disso, a pasta pretende quintuplicar o orçamento de relações públicas com foco no relacionamento com a imprensa. A escolha por mídias regionais seria devido a uma postura vista como mais crítica vinda de veículos nacionais.

    Já para o caso da publicidade no exterior, teriam sido solicitados mais R$ 60 milhões. O pedido cita textos considerados negativos para Bolsonaro publicados em jornais como os norte-americanos The Wall Street Journal e The Washington Post, e o britânico The Guardian.

    Mais:

    Governo cancela retirada de R$ 83,9 milhões do Bolsa Família para gastar em publicidade
    Apoiado em Guedes e no Centrão, Bolsonaro enfrenta 'ativismo judicial' herdado de Moro
    Bolsonaro desiste de nomear Feder para o Ministério da Educação, diz site
    MPF pede inquérito contra chefe da Secom
    Chefe da Secom, que viajou com Bolsonaro, tem suspeita de coronavírus, diz colunista
    Tags:
    Brasil, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar