01:25 26 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    3194
    Nos siga no

    A bolsonarista Sara Giromini, conhecida pelo apelido de Sara Winter, foi transferida nesta quarta-feira (17), da Polícia Federal para a Penitenciária Feminina de Brasília.

    Sara, líder do grupo "300 do Brasil", estava detida com prisão temporária após participar de manifestações pró-Bolsonaro.

    De acordo com o secretário de Administração Penitenciária do DF, Adval Cardoso, a bolsonarista vai ficar isolada em uma cela.

    Ativista Sara Winter em manifestação a favor de Bolsonaro
    © Folhapress / Frederico Brasil / Futura Press
    Ativista Sara Winter em manifestação a favor de Bolsonaro

    O namorado de Sara Giromini, que estava em frente ao presídio feminino quando ela chegou ao local foi detido. Segundo Adval Cardoso, ele soltou fogos de artifícios em direção ao prédio. As informações foram publicadas pelo portal G1.

    Na segunda-feira (15), a Polícia Federal prendeu Sara Giromini em investigação que apura possível financiamento de atos antidemocráticos.

    Além de Sara, outras cinco pessoas foram alvos de mandado de prisão. Segundo a investigação, as seis pessoas são suspeitas de organizar e captar recursos para atos antidemocráticos e de crimes contra a Lei de Segurança Nacional.

    Mais:

    'Lembra Alemanha Nazista': Gilmar Mendes defende punição para manifestações antidemocráticas
    PF cumpre mandados de busca e apreensão contra atos antidemocráticos
    Ativista do movimento 300 do Brasil, Sara Winter, é presa pela PF em Brasília
    Maioria dos ministros do STF vota a favor do prosseguimento do inquérito das fake news
    Tags:
    protesto, democracia, manifestações, Jair Bolsonaro, presa, Sara Winter
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar