05:00 26 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2201
    Nos siga no

    Segundo o site da revista Veja, o ministro da Educação do Brasil, Abraham Weintraub, deve pedir demissão do cargo.

    A informação foi publicada pelo colunista Robson Bonin, e aponta que o ministro estaria abatido com as críticas sofridas dentro e fora do governo. Ainda segundo a coluna, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, não se opôs a essa possibilidade.

    A revista detalha que representantes do Congresso Nacional fizeram a informação da possível demissão chegar aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e também do Supremo Tribunal de Justiça (STJ).

    A saída do ministro faria parte das movimentações de trégua entre os poderes em meio a uma crise política instalada em Brasília.

    O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Abraham Weintraub
    © AP Photo / Eraldo Peres
    O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Educação Abraham Weintraub

    Conforme aponta a revista Veja, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, queixou-se diretamente ao presidente Bolsonaro sobre declarações recentes do ministro, que comparou ações da Polícia Federal com o evento nazista da Noite dos Cristais. Tal declaração gerou reações negativas da comunidade judaica e diminuiu a capacidade de interlocução com o Congresso.

    ​Anteriormente, o ministro também foi flagrado em vídeo de reunião ministerial sugerindo a prisão dos ministros do STF. A dificuldade criada de aprovação no Congresso de pautas originadas na pasta da Educação teria sido fundamental para a decisão do próprio Weintraub.

    Mais:

    Weintraub tem 5 dias para explicar pedido de 'prisão' de ministros do STF
    Weintraub fica calado em depoimento à PF sobre fala de que botaria 'vagabundos' do STF na cadeia
    Moraes autoriza acesso de advogados ao inquérito sobre fake news
    Tags:
    Ministério da Educação, Senado Federal, Davi Alcolumbre, Supremo Tribunal de Justiça, Supremo Tribunal Federal (STF), Abraham Weintraub, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar