23:18 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    170
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (20) o dólar caiu para a menor cotação em 14 dias, e a bolsa de valores fechou no nível mais alto em quase um mês.

    O dólar comercial encerrou esta quarta-feira vendido a R$ 5,69, com recuo de R$ 0,071 (-1,23%). A cotação fechou no menor nível desde 5 de maio (R$ 5,59), informou Agência Brasil.

    O Banco Central (BC) realizou pouca intervenção no mercado e ofertou até US$ 620 milhões para rolar contratos de swap cambial – venda de dólares no mercado futuro – que venceriam em julho. A moeda norte-americana acumula alta de 41,8% em 2020.

    O euro comercial fechou o dia vendido a R$ 6,256, com recuo de 0,52%. A libra comercial caiu 1,2% e terminou a sessão vendida a R$ 6,97.

    O índice Ibovespa, da B3 (bolsa de valores brasileira), fechou o dia aos 81.319 pontos, com alta de 0,71%, influenciado pelo mercado externo. Este é o nível mais alto do indicador desde 29 de abril.

    O índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, encerrou a quarta-feira com alta de 1,52%. Os avanços nas pesquisas de remédios e de vacinas contra o novo coronavírus animaram o mercado financeiro global, que também refletiu o relaxamento das restrições sociais em diversos países da Europa e nos Estados Unidos. Além disso, o Federal Reserve (Fed), Banco Central norte-americano, informou que não pretende encerrar os estímulos à maior economia dos EUA, injetando ânimo no mercado.

    A tendência se manteve positiva, mesmo com dados negativos na economia brasileira. Também nesta quarta-feira, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgou queda recorde na atividade industrial em abril.

    Mais:

    Subida recorde do dólar deixa brasileiros frustrados, mas Twitter se eche com memes divertidos
    Mundo precisa de alternativa ao dólar após pandemia, diz Bolsa de Ouro de Xangai
    Dólar fecha acima de R$ 5,90 pela 1ª vez na história
    Tags:
    mercado financeiro, Brasil, Dólar
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar