04:28 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)
    365
    Nos siga no

    O presidente Jair Bolsonaro publicou nesta segunda-feira (11) um decreto que alterou a lista de serviços essenciais que podem funcionar durante a pandemia do novo coronavírus e que agora inclui, por exemplo, academias e barbearias.

    Conforme declarado no decreto, publicado no Diário Oficial da União (DOU), "salões de beleza e barbearias" e "academias esportivas de todas as modalidades" serão considerados "serviços essenciais".

    Na semana passada, uma modificação semelhante também incluiu "atividades de construção civil" e "atividades industriais" como essenciais, mas em todos os casos acrescenta-se que as determinações do Ministério da Saúde devem ser respeitadas.

    Com essa nova inclusão, a lista de atividades que o governo considera essenciais chega a 57, após mudanças repetidas nas últimas semanas. No entanto, isso não significa que os estabelecimentos mencionados possam ou devam abrir imediatamente.

    Aparelhos de academia ao ar livre seguem isolados no Rio de Janeiro
    © Folhapress / Adriano Ishibashi / FramePhoto
    Aparelhos de academia ao ar livre seguem isolados no Rio de Janeiro

    Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que estados e municípios têm jurisdição para legislar sobre medidas de isolamento social sem que o governo federal interfira.

    No momento, a maioria dos governos estaduais está optando por manter as restrições, alguns inclusive apertando ainda mais o cerco rumo a um isolamento rígido, portanto este e outros decretos do presidente têm pouco efeito.

    No Brasil, até o momento 11.519 pessoas morreram de COVID-19 e existem 168.331 casos da doença.

    Tema:
    Brasil luta com pandemia em meados de maio (78)

    Mais:

    Bolsonaro vive 'grande ilusão', diz analista sobre pressão por retomada da economia
    Bolsonaro passeia de moto aquática no Paranoá e confraterniza com grupo que fazia churrasco (VÍDEO)
    Brasil registra 168 mil casos confirmados e 11,5 mil mortes por COVID-19
    Tags:
    distanciamento, isolamento, Supremo Tribunal Federal (STF), saúde, política, novo coronavírus, COVID-19, academia, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar