06:16 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    12898
    Nos siga no

    O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, se pronunciou no início da tarde desta segunda-feira (4) a respeito do ato pró-golpe militar realizado no domingo (3) em Brasília, e que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro.

    Em uma nota divulgada no site do Ministério da Defesa, Azevedo destacou que "as Forças Armadas cumprem a sua missão constitucional", e que a harmonia entre os Três Poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – é fundamental para o Brasil.

    "Marinha, Exército e Força Aérea são organismos de Estado, que consideram a independência e a harmonia entre os Poderes imprescindíveis para a governabilidade do país", afirmou.

    O ministro lembrou que "a liberdade de expressão é requisito fundamental de um país democrático", mas que "qualquer agressão a profissionais de imprensa é inaceitável", referindo-se às agressões contra profissionais do jornal O Estado de S. Paulo que cobriam o ato.

    "O Brasil precisa avançar. Enfrentamos uma pandemia de consequências sanitárias e sociais ainda imprevisíveis, que requer esforço e entendimento de todos. As Forças Armadas estarão sempre ao lado da lei, da ordem, da democracia e da liberdade. Este é o nosso compromisso", concluiu.

    O ato realizado em frente ao Palácio do Planalto neste domingo tinha várias faixas pedindo a volta da ditadura militar ao Brasil, e teceu ataques diretos ao Supremo Tribunal Federal (STF), que recentemente impôs derrotas a pleitos de Bolsonaro.

    Nos bastidores, generais condenaram a presença do presidente do ato, garantindo que as Forças Armadas não compactuam com atos antidemocráticos como os vistos nos últimos dois finais de semana – em Brasília, ambos contaram com a participação de Bolsonaro.

    Mais:

    Bolsonaro vai ao shopping em Goiás, causa aglomeração e diz que não há como 'fugir' do vírus (VÍDEO)
    Moro contou à PF que Bolsonaro o ameaçou de demissão caso não aceitasse nomeação, diz jornal
    Subordinado de Ramagem é o escolhido de Bolsonaro para dirigir a Polícia Federal
    Tags:
    Fernando Azevedo e Silva, democracia, Supremo Tribunal Federal (STF), Ministério da Defesa, Forças Armadas, militares, golpe de Estado, golpe militar, golpe, ditadura militar, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar