11:49 25 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    2149
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (14), o governo federal publicou no Diário Oficial da União a exoneração do diretor de Proteção Ambiental do Ibama, Olival Azevedo.

    A texto publicado na Seção 2 do DOU é assinado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A decisão teria sido de "comum acordo", segundo publicou o portal G1.

    Azevedo foi nomeado para o cargo ainda em janeiro de 2019. O ex-subcomandante da Polícia Militar Ambiental de São José do Rio Preto, em São Paulo, era considerado uma indicação do próprio ministro Ricardo Salles.

    Segundo afirmou o colunista do UOL, Rubens Valente, a exoneração é consequência de uma operação de combate ao garimpo ilegal em três terras indígenas no interior do Pará.

    O objetivo da operação seria reprimir o garimpo, o desmatamento, a caça ilegal de animais silvestres e também impedir que invasores levassem a COVID-19 para dentro das terras indígenas. Com o avanço da pandemia, também aumentaram as invasões de terras indígenas, além de um crescimento de 29,9% nos alertas de desmatamento no mês de março deste ano.

    O senador Fabiano Contarato (Rede-ES), afirmou em sua conta no Twitter que ingressará com uma ação popular contra a exoneração, apontando que o ministro Salles teria agido com desvio de finalidade e violação dos princípios da legalidade, moralidade e eficiência administrativa.

    Mais:

    Morre indígena de 15 anos com COVID-19 em Roraima
    Bolsonarista é preso em terra indígena e coloca Ibama nos assuntos mais falados no Twitter
    Ricardo Salles: COP 25 não deu em nada
    Tags:
    Ricardo Salles, novo coronavírus, Ibama, COVID-19
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar