18:50 06 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1416
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores do Brasil, Ernesto Araújo, participou de uma audiência pública na Comissão de Relações Exteriores (CRE) do Senado Federal.

    Araújo disse que a reeleição do presidente dos Estados Unidos, Donald Tump, pode garantir a continuidade de uma relação que chamou de "promissora" entre os Estados Unidos e Brasil.

    "Estamos trabalhando com o governo do presidente Trump, com quem temos aberto tantas novas oportunidades. Vamos ver qual o resultado da eleição. Evidentemente, se o presidente Trump for reeleito, continuaremos certamente nesta linha que tem sido muito promissora. Em outro caso, veremos", disse Araújo, citado pelo jornal Folha de S.Paulo.

    No entanto, apesar de endossar a reeleição de Donald Trump, Ernesto Araújo, rejeita a possibilidade do governo brasileiro se posicionar a respeito da disputa das primárias do partido Democrata.

    "Mas não vamos nos posicionar, de forma nenhuma, em relação aos candidatos democratas", afirmou.

    O presidente Jair Bolsonaro vai viajar a Miami neste fim de semana para se encontrar com o presidente Donald Trump.

    Não há alinhamento automático com Israel, diz Araújo

    Ernesto Araújo foi ao Senado para explicar o apoio do governo brasileiro ao Plano de Paz para a Prosperidade, apresentado pelo presidente norte-americano Donald Trump, em janeiro passado, para acordo entre israelenses e palestinos.

    "O plano chamado Paz para a Prosperidade, apresentado pelo presidente norte-americano Donald Trump em janeiro passado, é o resultado de três anos de preparação com vistas a propor uma iniciativa inovadora para quebrar a inércia das negociações entre israelenses e palestinos congeladas há bem mais de uma década", afirmou Araújo.

    O chanceler brasileiro negou, no entanto, que exista um alinhamento automático entre Brasil e Israel.

    "É claro que não queremos estar além do que fomos chamados pelas partes, mas estamos dispostos a estar presentes. Acho que hoje Israel nos veria como um parceiro que pode estar presente, assim como, espero, a Palestina também, o lado palestino. Então, não vejo como um alinhamento", disse Ernesto.

    Mais:

    Senado quer ouvir Ernesto Araújo sobre apoio a plano de Trump para Israel e Palestina
    Alinhamento do Brasil com os EUA diminui 'credibilidade' do Itamaraty, diz analista
    Governo brasileiro remove diplomatas e funcionários consulares da Venezuela
    Tags:
    Senado Federal, Estados Unidos, Brasil, Ernesto Araújo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar