11:01 27 Maio 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    241
    Nos siga no

    O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira que há nove casos de pessoas hospitalizadas com suspeitas de infecção pelo novo coronavírus no país.

    Em coletiva de imprensa realizada nesta tarde em Brasília, autoridades da pasta disseram ter recebido 33 notificações de casos para investigação de possível contaminação pelo 2019-nCoV, mas 24 já foram descartadas. As pessoas que ainda estão sendo avaliadas se encontram em Minas Gerais (1), Rio de Janeiro (1), Santa Catarina (2), São Paulo (3), Paraná (1) e Ceará (1). 

    ​"São pessoas que apresentaram febre e, pelo menos, um sinal ou sintoma respiratório, e viajaram para área de transmissão local, a China, nos últimos 14 dias antes do início dos primeiros sintomas. Os demais não cumpriram a definição de caso, foram excluídos ou apresentaram resultado laboratorial para outros vírus respiratórios como o vírus Influenza A/H1N1, Influenza A/H3 e Rhinovirus", informou o ministério.

    A fim de lidar melhor com esse surto que vem gerando grandes preocupações em todo o mundo, as autoridades brasileiras decidiram ampliar as recomendações para empresas e indivíduos no país, reforçando que viagens para a China só devem ocorrer em caso de extrema necessidade.

    "Recomendamos que as empresas no Brasil tenham essa preocupação em não realizar reuniões com pessoas que vêm da China ou enviar alguém para lá. A orientação que o Ministério da Saúde dá é de substituir reuniões comerciais feitas pessoalmente por reuniões online", afirmou o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo.

    Mais:

    Descartada suspeita de coronavírus em menina brasileira internada nas Filipinas
    Coreia do Norte restringe voos da China em meio a preocupações com coronavírus
    Cura possível? Cientistas criam coronavírus em laboratório na Austrália para gerar vacina (VÍDEO)
    Tags:
    doença, contaminação, vírus, epidemia, surto, Ministério da Saúde, China, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar