13:48 22 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    351
    Nos siga no

    O vice-presidente Antônio Hamilton Mourão refutou em uma entrevista publicada nesta terça-feira que o presidente Jair Bolsonaro possa ser considerado uma ameaça à democracia no Brasil.

    General da reserva do Exército brasileiro, Mourão refutou as ideias de que faria hoje parte de um tipo de governo totalitário.

    "Desde que o presidente foi eleito, se procurou apresentá-lo como alguém desmedido, que atenta contra os princípios democráticos. Ele não é isso, em absoluto. Ele não é nenhum perigo para o sistema democrático", afirmou em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo.

    Ele aproveitou para alfinetar os antecessores de Bolsonaro, sem citar nomes. "Outros, muito mais perigosos, passaram por aqui e eram aplaudidos", acrescentou.

    Após um início de governo em que se viu afastado das principais decisões do Executivo, Mourão vem estado distante de polêmicas e, aos poucos, vem ganhando algumas atribuições. A mais recente é a coordenação dos recém-criados Conselho da Amazônia e Força Nacional Ambiental.

    O presidente Jair Bolsonaro e o seu vice, Hamilton Mourão, participam do Lançamento da Campanha Semana do Brasil.
    © Foto / Valter Campanato / Agência Brasil
    O presidente Jair Bolsonaro e o seu vice, Hamilton Mourão, participam do Lançamento da Campanha Semana do Brasil.

    "O meio ambiente é um tema do século 21. É levado em consideração para financiamentos internacionais. Em consequência, o presidente, então, estabelece uma nova diretriz", comentou ao responder sobre os radicalismos do governo em questões ambientais.

    Mourão ainda reforçou a ideia de que o governo Bolsonaro seja democrático quando questionado sobre o convite feito à atriz Regina Duarte para assumir a Secretaria de Cultura, envolta em polêmica desde a manifestação de tom nazista do antigo chefe da pasta.

    "Só um governo totalitário controla a cultura. Aqui não existe governo totalitário. A cultura é um segmento onde você procura sedimentar valores, tradições e raízes. Neste sentido, é uma discussão secundária para um país com 12 milhões de desempregados, desigualdades absurdas e uma economia que ainda não avançou", completou na mesma entrevista.

    Mais:

    Melhores fotos da semana em que Regina Duarte chega a Brasília para encontro com Bolsonaro
    Bolsonaro defende deportação de brasileiros dos EUA
    Acordos fechados por Bolsonaro na Índia favorecem mais o agronegócio, diz especialista
    Tags:
    ameaça, regimes totalitários, totalitarismo, política, democracia, Antonio Hamilton Mourão, Jair Bolsonaro, Amazônia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar