17:38 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    322
    Nos siga no

    Ministro da Educação, Abraham Weintraub, disse que erros nas provas do Enem foram concentrados em quatro cidades e afetaram cerca de seis mil pessoas, mas que o "impacto" foi baixo.

    Em entrevista concedida para a Rádio Gaúcha, o ministro afirmou que as provas seriam corrigidas ainda hoje. O prazo para os candidatos pedirem a revisão foi encerrado às 10h desta segunda-feira (20). 

    "A gente já tem o número de pessoas e vai ser corrigido hoje à noite. Estamos falando de 0,1% das pessoas, isso dá cerca de cinco ou seis mil candidatos, problemas que vão ser corrigidos. O impacto é baixo e não vai ter nenhum efeito para a maioria das pessoas". 

    O método de correção e pontuação do Enem avalia a dificuldade das questões. As mais difíceis - com menor percentual de acertos, valem mais. Por isso, erros em uma parcela das provas podem acabar afetando um número maior de candidatos.

    O problema teria sido causado pela falha em impressora da gráfica Valid, contratada pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) para confeccionar e entregar os cadernos de provas do Exame Nacional do Ensino Médio 2019. 

    Impressora 'dava umas engasgadas'

    Segundo o chefe da pasta, a máquina "dava umas engasgadas" durante a impressão, o que gerou o descolamento da prova com o gabarito.

    Weintraub disse que o erro foi identificado a partir de estatísticas do Inep, autarquia responsável pela produção e correção da prova. De acordo com ele, alguns candidatos apresentaram notas altas no primeiro dia e resultados baixos no segundo.

    "Não faz sentido uma pessoa gabaritar no primeiro dia e no segundo ela tirar zero", explicou. 

    A falha teria ocorrido em quatro cidades brasileiras, principalmente em Minas Gerais. O Enem foi realizado em novembro do ano passado. 

    "Não tem impacto nenhum, o pessoal aí do Sul pode ficar tranquilo. O resto também pode ficar tranquilo, foi um susto que as pessoas levaram", disse Weintraub. 

    'Peço desculpas pelo susto'

    "Estatisticamente, o número é pequeno, mas, individualmente, temos que respeitar as pessoas. Peço desculpas pelo susto", acrescentou.   

    O ministro também confirmou que o prazo de abertura para inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) será mantido, de terça-feira (21) até sexta-feira (24). O desempenho no Enem é critério para concorrer no sistema que oferece 237 mil vagas em universidades federais. 

    Mais:

    Bolsonaro critica Enem e diz que vai verificar prova com antecedência em 2019
    MEC cria comissão para revisar questões do Enem 2019 e 'verificar pertinência'
    Após vazamento do Enem, Polícia Federal realiza operação no Ceará
    Tags:
    Abraham Weintraub, governo, exame, provas, ministérios, educação, ENEM
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar