09:32 17 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    220
    Nos siga no

    As fortes chuvas que atingiram a região Sul de Espírito Santo desde sexta-feira já deixaram 229 pessoas desalojadas, 182 desabrigadas, uma pessoa ferida e seis mortos.

    As informações sobre vítimas foram atualizadas neste domingo em boletim divulgado pela Defesa Civil do estado.

    O município com o maior número de desalojados é Vargem Alta: 212. Rio Novo do Sul tem nove pessoas desalojadas e Anchieta, 8. Anchieta concentra o maior número de desabrigados: 80. Todos estão agora no Centro de Convivência de Limeira, informou Agência Brasil.

    Vargem Alta tem 63 pessoas desabrigadas, que foram acolhidas por duas escolas estaduais. Iconha registra 35 desalojados, que se encontram na Igreja Católica da cidade e Rio Novo do Sul tem quatro pessoas desalojadas, que foram encaminhadas para o aluguel social.

    Três pessoas morreram no município de Iconha. A cidade também registrou uma pessoa ferida em razão das chuvas. Em Alfredo Chaves também morreram três pessoas: dois soterradas no distrito de Cachoeirinhas; a outra morreu no distrito de Recreio.

    Para este domingo, a previsão do tempo, divulgada pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), é de muitas nuvens e alguma abertura de sol em todo o estado. Há também a previsão de pancadas de chuva em alguns momentos do dia em todas as regiões do Espírito Santo.

    Para segunda-feira, o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos emitiu um aviso meteorológico alertando para riscos de que ocorram tempestades de raios, chuvas intensas e vendaval nos municípios de Afonso Cláudio, Água Doce do Norte, Alegre, Alto Rio Novo, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Brejetuba, Conceição do Castelo, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Ecoporanga, Guaçuí, Ibatiba, Ibitirama, Irupi, Iúna, Laranja da Terra, Mantenópolis, Muniz Freire, Pancas e Venda Nova do Imigrante.

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar