23:12 10 Julho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    14135
    Nos siga no

    Com a proximidade do Natal, o comércio vive a expectativa de aumentar suas vendas. A Sputnik Brasil foi às ruas ouvir o que estão pensando os consumidores em meio à crise econômica no país.

    Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o ritmo de vendas do comércio brasileiro desacelerou em outubro, mas chegou ao 6º mês consecutivo de crescimento. O mesmo IBGE tem demonstrado uma recuperação da economia em ritmo lento, além do crescimento da miséria e também da disparada da informalidade no Brasil.

    Divulgada nesta quarta-feira (11), a Pesquisa Mensal de Comércio, do IBGE, mostrou que houve alta nas vendas do comércio varejista do país. O crescimento foi de 0,1% em outubro, desacelerando em relação ao mês anterior - o melhor do ano - quando a alta foi de 0,8%. Ainda segundo o IBGE, no acumulado de 2019, o comércio cresceu 2,7%, enquanto que na comparação com outubro de 2018, o crescimento chegou a 4,2%.

    A pesquisa mostra que pelo menos seis de oito setores analisados mostraram crescimento no mês, com destaque para as áreas de equipamentos e material para escritório, informática e comunicação, que cresceu 5,3%, e para a de combustíveis e lubrificantes, que cresceu 1,7%.

    A Sputnik Brasil foi às ruas de um dos centros comerciais mais populares do país, o Saara, no Rio de Janeiro, e ouviu lojistas e consumidores sobre a expectativa do Natal. Segundo uma pesquisa realizada pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro, a expectativa é de que as compras no Natal cresçam 3,5% na cidade.

    Mais:

    IBGE: indústria reage, mas acumula queda de 1,4% no ano
    IBGE: trabalho informal bate novo recorde no Brasil
    IBGE: miséria no Brasil bate recorde e atinge 13,5 milhões
    IBGE: PIB cresce 0,6% no 3° trimestre
    IBGE: indústria cresce pelo 3º mês, mas acumula queda de 1,1% no ano
    Tags:
    IBGE, Natal
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar