09:29 16 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Os deputados Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro falam com a imprensa. Foto de 26 de junho de 2016.

    Brasil: 70% são contra indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada nos EUA

    Agência Brasil / Fábio Rodrigues Pozzebom
    Brasil
    URL curta
    9153
    Nos siga no

    Nesta quarta-feira (4), o Datafolha publicou uma pesquisa mostrando que maioria dos brasileiros é contra a indicação do filho do presidente para a principal embaixada brasileira.

    Segundo o instituto de pesquisas, 70% dos brasileiros reprovam a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), para a embaixada brasileira nos Estados Unidos.

    A indicação vem sendo anunciada pelo próprio pai de Eduardo, o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (PSL). O presidente tenta se esquivar das críticas e promover o nome do filho garantindo que ele é qualificado para a indicação.

    Ainda segundo a pesquisa, 23% das pessoas entrevistadas apoiam a indicação do deputado para o cargo diplomático. A pesquisa também constatou que 1% dos entrevistados acredita que o presidente não age bem nem mal ao indicar o filho e outros 5% não sabem responder.

    Dentre todos os recortes apontados pela pesquisa, o maior apoio à medida do presidente vem dos evangélicos, uma de suas principais bases de apoio.

    Mesmo assim os números não são favoráveis para o presidente. Entre os evangélicos, 32% dos entrevistados apoiam a indicação e 61% são contra.

    O Datafolha realizou 2.878 entrevistas em 175 municípios brasileiros. A pesquisa tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos.

    Mais:

    Trump discute Amazônia com Eduardo Bolsonaro e chanceler Ernesto Araújo
    Eduardo Bolsonaro se reúne com Trump: manobra de pressão pela embaixada em Washington?
    Bolsonaro atua para impedir a disseminação da 'ideologia de gênero' nas escolas
    Bolsonaro acusa Bachelet de ser 'contra o Brasil' e exalta ditador chileno
    Tags:
    Datafolha, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar