03:43 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Imagem de queimada na Amazônia, na cidade de Novo Progresso, Pará

    Proteção da Amazônia é vital para conter aquecimento global, afirma MRE norueguês

    © REUTERS / Nacho Doce
    Brasil
    URL curta
    275
    Nos siga no

    O Ministério das Relações Exteriores da Noruega ressaltou que a proteção da Floresta Amazônica é vital para conter o aquecimento global e preservar a biodiversidade.

    Em um tweet, o Ministério das Relações Exteriores norueguês escreveu que a "Noruega continua se empenhando para limitar o desflorestamento na região [da Amazônia]", ressaltando que "a proteção da Floresta [Amazônica] é uma responsabilidade global compartilhada".

    ​Os incêndios na Amazônia são motivos de grande preocupação. Proteger a floresta tropical é vital para limitar o aquecimento global e garantir a biodiversidade. A Noruega continua se empenhando para limitar o desflorestamento na região. Proteger a floresta tropical é uma responsabilidade global. 

    Desde 2008, a Noruega contribuiu com US$ 1,2 bilhão no Fundo Amazônia, criado para prevenção, monitoramento e luta contra o desmatamento na Amazônia.

    Entretanto, no dia 16 de agosto, Oslo anunciou que não contribuiria mais anualmente, alegando que "não há base legal e técnica" para financiar o Fundo Amazônia, visto que o governo Bolsonaro decretou a dissolução do Comitê Orientador do Fundo Amazônia (COFA) e do Comitê Técnico do Fundo Amazônia (CTFA).

    De acordo com especialistas do Instituto Nacional de Investigações Espaciais do Brasil (INPE), mais de 75 mil focos de incêndios foram detectados na Amazônia em 2019, um índice 85% maior do que em 2018.

    Mais:

    FAB usa aviões de combate contra incêndios na Amazônia (VÍDEO)
    Ministério da Economia libera R$ 38,5 milhões para combater incêndios na Amazônia
    Sergio Moro autoriza uso da Força Nacional para combater incêndios na Amazônia
    Tags:
    aquecimento global, incêndio, floresta, Amazônia, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar