02:29 22 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida no bairro de Santa Cruz, na zona oeste do Rio (Beth Santos/Secretaria Geral).

    Construtoras pressionam e governo libera R$800 milhões para manter Minha Casa, Minha Vida

    © Foto : Agência Brasil/Beth Santos
    Brasil
    URL curta
    131

    Após forte pressão de construtoras, o governo Bolsonaro decidiu liberar R$800 milhões para manter as obras do Minha Casa, Minha Vida, informou a Folha de S. Paulo. Segundo jornal, empresas ameaçavam parar os trabalhos em maio.

    O governo vai liberar R$ 800 milhões adicionais em recursos para evitar a paralisação das obras do Minha Casa, Minha Vida (MCMV), informa reportagem publicada nesta sábado pelo jornal Folha de S. Paulo. De acordo com o texto, a liberação da verba ocorre após pressão das construtoras que atuam no programa de habitação popular, que ameaçavam parar com as obras em maio.

    De acordo com o jornal, empresas que atuavam na faixa 1 do programa — aquela destinada a famílias com renda de R$1,8 mil por mês e que contavam com 90% do imóvel subsidiado — foram as que mais fizeram pressão sobre o governo. Como a maior parte do valor necessário para a construção dos imóveis sai dos cofres públicos, o atraso nos repasses prejudicava a saúde financeira das construtoras.

    Mesmo com a liberação da verba, a situação só deve ser um paliativo. Isso porque deste valor, pelo menos R$550 milhões são desembolsos atrasados.

    Ainda de acordo com as fontes ouvidas pela Folha, empresários deixaram de procurar novos terrenos e estão repensando estratégias a longo prazo quanto à participação no projeto governamental. Alguns declararam ao jornal que o governo não está honrando com nem 1,5% da participação no programa.

    Mesmo com o dinheiro liberado por Brasília, não estão afastadas as chances de paralisação em junho. O governo Bolsonaro ainda não se manifestou sobre as declarações.

    Tags:
    Minha Casa, Minha Vida, Folha de S. Paulo, Jair Bolsonaro, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar