09:22 19 Maio 2019
Ouvir Rádio
    Presidente Eleito Jair Bolsonaro em entrevista no CCBB em Brasília

    Bolsonaro nega relação com a morte de Marielle Franco em entrevista à TV nos EUA

    Fotos Públicas / Wilson Dias / Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    Bolsonaro nos EUA (29)
    25623

    O presidente brasileiro Jair Bolsonaro concedeu entrevista na noite desta segunda-feira nos Estados Unidos, onde está para uma visita oficial ao presidente norte-americano Donald Trump. O mandatário foi pressionado e falou sobre temas polêmicos.

    Bolsonaro foi entrevistado pela jornalista Shannon Bream, da rede conservadora Fox News, e teve de falar sobre a morte da vereadora Marielle Franco, assassinada junto ao seu motorista há pouco mais de um ano no Rio de Janeiro.

    Perguntado sobre o fato de um dos suspeitos pelos crimes ser morador do seu condomínio, na Barra da Tijuca, Bolsonaro voltou a dizer que não conhecia o policial militar reformado Ronnie Lessa, tampouco tinha informações sobre um suposto namoro de um dos seus filhos com uma filha do PM, que está preso.

    O presidente brasileiro também negou que possa ter qualquer ligação com a morte de Marielle, possibilidade por enquanto descartada pelas autoridades do Rio, mas ventilada nas redes sociais por conta das ligações da família Bolsonaro com milicianos – vários homenageados ou cujos parentes foram empregados por integrantes do clã.

    "Eu só descobri quem era Marielle Franco depois que ela foi morta. Ela era uma vereadora e eu nunca — nunca ouvi nada sobre sua vida. E mais um ponto: que tipo de motivação eu poderia tem que ser o mentor de algum tipo de assassinato assim? Eu nem sequer a conhecia", declarou.

    O mandatário brasileiro, identificado pela Fox News como "o Trump dos Trópicos" polêmico e de extrema-direita, foi questionado ainda sobre o polêmico vídeo de conteúdo explícito que postou em seu Twitter no Carnaval. Na entrevista, ele reforçou que acredita em valores familiares tradicionais e não nutre ressentimento em relação à comunidade homossexual.

    Contudo, Bolsonaro criticou o que chamou de tentativas de classificá-lo como um "fanático".

    "Uma das coisas que me elegeu como presidente foi o meu sentimento de respeito às famílias, princípios, tradição e costumes. E, claro, o respeito à nossa cultura, bem como à nossa religião. Sou um cristão", alegou o presidente brasileiro, defendendo a sua postagem.

    Bolsonaro ainda falou do que espera do seu encontro desta terça-feira com Trump. O presidente brasileiro destacou que concorda com a política atual norte-americana de controle das fronteiras.

    "A grande maioria dos potenciais imigrantes não tem boas intenções. Eles não pretendem fazer o melhor — ou fazer o bem ao povo dos EUA", sentenciou Bolsonaro, ele próprio um crítico quando deputado da política migratória brasileira.

    O mandatário brasileiro espera que o encontro com o líder dos EUA em Washington seja calcado "na perspectiva de ajudar uns aos outros".

    Tema:
    Bolsonaro nos EUA (29)

    Mais:

    Bolsonaro nos EUA: o que o presidente brasileiro espera receber na Casa Branca?
    Bolsonaro e ministros fazem visita fora da agenda à CIA
    Governo Bolsonaro não vê conexão entre massacre em São Paulo e flexibilização de armas
    Tags:
    carnaval, LGBT, relações bilaterais, diplomacia, assassinato, milicianos, milícia, Donald Trump, Marielle Franco, Ronnie Lessa, Jair Bolsonaro, Rio de Janeiro, Brasil, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar