03:31 20 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Ex-assessora de Magno Malta, pastora Damares Alves assume Ministério de Mulheres e Direitos Humanos

    Damares Alves diz que execução de hino em escolas é 'obrigatória'

    © Foto / Valter Campanato/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    17311
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (26), durante uma fala em Genebra, na Suíça, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que é obrigatória a execução do hino nacional nas escolas como parte de uma medida para a promoção da ética e da cidadania.

    No entanto, ao divulgar nota solicitando às escolas que toquem o hino nacional, o Ministério da Educação e Cultura (MEC), havia afirmado que a adoção da proposta era voluntária. A nota também pedia que os alunos fossem filmados ao cantar o hino.

    A ministra ainda ressaltou que a obrigatoriedade à execução do hino se aplica às escolas públicas e particulares, porém não haveria punição a quem descumprir a regra.

    Damares também afirmou que a obrigatoriedade do hino é uma lei de 2009 e que "o governo Bolsonaro é o governo da legalidade". Para ela, trata-se da "vontade de restaurar no Brasil o patriotismo com o amor ao hino, à bandeira".

    A declaração de Damares fez parte de participação da ministra no Conselho de Direitos Humanos da ONU. Ela ainda deve se encontrar com a relatora especial da organização para deficientes.

    Mais:

    Análise: 'Não é interessante para o Brasil se envolver em campanha militar' na Venezuela
    Mourão diz que Brasil segue 'contra intervenção militar' na Venezuela
    Tensão na fronteira venezuelana faz Brasil reforçar presença militar na região
    Escalada na crise venezuelana gera problemas ao Brasil: Roraima pode ficar sem luz
    Tags:
    patriotismo, hino nacional, escolas, Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Ministério da Educação e Cultura, Conselho de Direitos Humanos da ONU, Damares Alves, Suíça, Genebra, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar