00:08 20 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Operário em fundição de aço (Arquivo)

    Governo Bolsonaro rejeita tarifas da União Europeia ao aço brasileiro

    © Sputnik / Aleksandr Kondratuk
    Brasil
    URL curta
    4112
    Nos siga no

    O governo brasileiro manifestou nesta terça-feira sua rejeição da aplicação pela União Europeia (UE) das tarifas sobre as importações de aço, com acréscimos de 25% quando os limites estabelecidos para cada categoria de produto são excedidos.

    "O governo brasileiro tem acompanhado desde o início os processos de salvaguardas da UE, afirmando em várias ocasiões sua posição contra o pedido", afirmaram os ministérios da Economia e de Relações Exteriores do Brasil em comunicado conjunto.

    A UE iniciou em março de 2018 a avaliação sobre a imposição dessas salvaguardas, que foram provisoriamente impostas em junho daquele ano.

    O governo brasileiro lembrou que a intenção de aplicar as medidas definitivamente foi notificada pela UE à Organização Mundial do Comércio (OMC) em 4 de janeiro, e que o prazo vai até junho de 2021.

    O mercado europeu foi o destino de 18,1% das exportações brasileiras de aço em 2017. Das sete cotas impostas, a que mais prejudica o Brasil é a de laminados quentes de aço inoxidável.

    No ano passado, os Estados Unidos sobretaxaram as importações de aço de outros países. Após gestões do governo, o aço brasileiro ficou fora da medida.

    Mais:

    'Princípio de retração mundial': restrição da UE ao aço do Brasil reflete tensão EUA-China
    'Bom senso ganhou': especialistas comentam diretiva de Trump em relação ao aço brasileiro
    Trump assina medida que ajuda aço exportado pelo Brasil para os EUA
    Tags:
    exportações, importações, comércio, economia, tarifas de aço e alumínio, tarifas, protecionismo, União Europeia, OMC, Estados Unidos, Europa, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar