03:01 20 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Bolsonaro assina termo de posse e se torna o 38º presidente do Brasil

    Não há como resolver déficit sem alterar Previdência de militares, diz especialista

    © AFP 2019 / Nelson Almeida
    Brasil
    URL curta
    12114

    Para o professor de Finanças do Coppead/UFRJ Carlos Heitor Campani, o déficit da Previdência não pode ser resolvido de maneira "justa" sem que os militares também passem por alterações em suas regras de aposentadoria.

    "O déficit na Previdência dos militares é bastante grande, se você também não mexer dificilmente vai conseguir resolver. E se resolver, vai ser de uma maneira que não me parece justa com a sociedade", disse Campani à Sputnik Brasil.

    Segundo levantamento do G1, aposentadorias de militares e servidores vão gerar déficit de R$ 90 bilhões em 2019, quase um terço do rombo total da Previdência. O rombo total previsto para a Previdência em 2019 é de R$ 308 bilhões.

    Ao assumir o cargo de comandante do Exército na semana passada, Edson Leal Pujol defendeu que os militares fiquem de fora da reforma da Previdência. "Nós não temos hora extra, não temos adicional noturno, não podemos nos sindicalizar", disse o novo chefe do Exército.

    Pujol também ressaltou que, caso seja decidido pelo governo e pela sociedade, os militares irão cumprir as mudanças nas regras de aposentadoria.

    O professor da UFRJ Carlos Heitor Campani concorda que "existem argumentos para a diferenciação" das regras previdenciárias, mas ressaltou que a sociedade brasileira está mudando e que "todas as camadas" deverão passar por mudanças. 

    Mais:

    Com inflação baixa governo Bolsonaro pode baixar taxa de juros, diz economista
    Orban elogia Bolsonaro: 'Brasil é a definição mais adequada da democracia cristã moderna'
    Bolsonaro não se opõe à compra da Embraer pela Boeing
    Flávio Bolsonaro promete explicar movimentação financeira do assessor ao MP
    Fórum Econômico Mundial terá protestos contra Bolsonaro e Trump
    Aliado de Bolsonaro, líder da Hungria promete 'combater' Macron na UE
    Tags:
    Edson Leal Pujol, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar