13:31 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Jair Bolsonaro se encontrou com John Bolton no Rio

    Brasil terá embaixada em Jerusalém e pode ter base dos EUA no país, diz Bolsonaro (VÍDEO)

    © Foto / Divulgação / Twitter John Bolton
    Brasil
    URL curta
    231727
    Nos siga no

    Em entrevista concedida nesta quinta-feira ao SBT, o presidente Jair Bolsonaro confirmou que vai transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, o que pode render sanções econômicas de países árabes.

    "Alguns mais radicais podem tomar algumas sanções, espero apenas econômicas, contra nós, mas não vou deixar de reconhecer a autoridade de Israel, que decide qual é a capital de Israel, seu governo, seu povo e o ponto final", afirmou Bolsonaro.

    O presidente brasileiro declarou que grande parte do mundo árabe está alinhado com os EUA e que "a questão da Palestina" já está "saturando" muitos desses países da região.

    Bolsonaro acrescentou que o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel é a resposta para um "anseio da população", porque uma grande parte dos evangélicos – que o apoio na corrida presidencial – é favorável da medida.

    O ex-capitão do Exército Brasileiro se reuniu na semana passada no Rio de Janeiro com o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu, uma das principais autoridades estrangeiras em sua posse. O premiê havia adiantado que Bolsonaro havia indicado a mudança para ele.

    Quando perguntado se sua abordagem a Israel tem a ver com o medo de um ataque terrorista, Bolsonaro tripudiou.

    "Acho que eles não chegariam a esse ponto, seria absurdo chegar a esse ponto e criar uma questão diplomática tão séria", sentenciou. No entanto, ele acrescentou que sempre houve "preocupação" e citou o ataque sofrido pela Associação Mutual de Israel (AMIA) em 1994, na Argentina, que deixou 85 mortos.

    O presidente brasileiro ressaltou que deseja manter relações comerciais com todos os países e que o Brasil não se importa se outras nações reconhecem ou não que Jerusalém é a capital de Israel.

    Base militar dos EUA

    Em outro momento da entrevista, Bolsonaro disse estar aberto à possibilidade de os Estados Unidos operarem uma base militar própria no Brasil, uma mudança que geraria uma forte mudança de direção para a política externa brasileira.

    Preocupado com o apoio da Rússia ao governo do presidente venezuelano Nicolás Maduro, Bolsonaro indicou que o Brasil também pode se aproximar militarmente de Washington, diante do aumento das tensões na região.

    "Dependendo do que acontece no mundo, quem sabe se não precisaríamos discutir essa questão [base dos EUA no Brasil] no futuro", pontuou Bolsonaro. Ele enfatizou ainda que o que o Brasil procura é ter "supremacia aqui na América do Sul".

    Mais:

    Partido de Bolsonaro vai indicar Major Olímpio para presidência do Senado
    Presidente da China elogia Bolsonaro em carta
    'Era Bolsonaro': cientista político analisa futuro de PT e PSDB
    Tags:
    diplomacia, relações bilaterais, base militar, evangélicos, embaixada, Benjamin Netanyahu, Nicolás Maduro, Donald Trump, Jair Bolsonaro, Jerusalém, Israel, Rússia, Venezuela, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar