05:48 11 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Vista do campo onde treinam as jogadoras da seleção brasileira da Street Child World Cup 2018, no topo do Morro do Caracol, favela do Complexo da Penha, Rio de Janeiro.

    Diferença entre ricos e pobres aumenta e Brasil se torna 9º país mais desigual do mundo

    © Sputnik / Solon Neto
    Brasil
    URL curta
    10102

    O relatório País estagnado: um retrato das desigualdades brasileiras - 2018, divulgado nesta segunda-feira (26) pela organização não governamental Oxfam Brasil, mostra que entre 2016 e 2017 a redução da desigualdade de renda no Brasil foi interrompida pela primeira vez nos últimos 15 anos.

    A estagnação fez com que o Brasil caísse da posição de 10º para 9º país mais desigual do planeta no ranking global de desigualdade de renda de 2017.

    Em 2017, os 50% mais pobres da população brasileira sofreram uma retração de 3,5% nos seus rendimentos do trabalho. A renda média da metade mais pobre da população foi de R$ 787,69 mensais, menos que um salário mínimo.

    Por outro lado, os 10% de brasileiros mais ricos tiveram crescimento de quase 6% em seus rendimentos do trabalho. A renda média dessa parcela da população foi de R$ R$ 9.519,10 por mês, conforme dados da PNAD/IBGE. As informações foram publicadas pela Agência Brasil.

    O número de pessoas pobres também cresceu no período. Havia 15 milhões de pessoas pobres no Brasil em 2017, o que corresponde a 7,2% da população — aumento de 11% em relação a 2016, quando havia 13,3 milhões. É considerado pobre quem sobrevive com renda de até US$ 1,90 por dia, cerca de R$ 7, conforme critério do Banco Mundial.

    Tags:
    ricos, pobres, desigualdade, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik