04:09 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Eduardo Cunha (esquerda) recebe no seu escritório do Congresso Nacional, em Brasília, o coordenador nacional do MBL, Kim Kataguiri (direita).

    MBL lança movimento estudantil e vai disputar centros acadêmicos

    © AFP 2018 / EVARISTO SA
    Brasil
    URL curta
    181312

    O grupo pretende formar "jovens liberais conservadores" e disputar eleições de centros acadêmicos.

    Nesta sexta-feira o Movimento Brasil Livre (MBL) está lançando o MBL Estudantil. Em entrevista para Folha de São Paulo, o vereador paulistano Fernando Holiday (DEM) disse que o novo projeto do grupo pretende "quebrar hegemonia da esquerda" em escolas e universidades, bem como "construir um movimento estudantil, mas que não seja apenas de militância, um movimento também de formação".

    Segundo Holiday, que ao lado de Kim Kataguiri e Pedro D’eyrot, faz parte do núcleo duro do MBL, a ideia é formar jovens liberais na economia e conservadores em pautas morais.

    "O principal foco do MBL estudantil é formar um enorme exército de estudantes com pensamento liberal-conservador para que possam disseminar esse conteúdo em sala e fazer oposição a qualquer discurso doutrinário de esquerda no ambiente estudantil", explicou Pedro D´eyrot à Folha. 

    D´eyrot acrescentou que o objetivo seria "dominar o maior número de entidades possíveis com o pensamento de direita", bem como tomar DCEs [diretórios centrais de estudantes] e DAs [diretórios acadêmicos].

    MBL informou que mais de 11 mil alunos de 8 mil instituições se cadastraram na plataforma.

    Mais:

    MBL: 'Campanha de Lula é situação similar a de estelionato'
    MBL vs Facebook: a cruzada contra a checagem de 'fake news'
    'Não converso com pessoas indecentes', filósofa abandona entrevista ao ver líder do MBL
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik