22:22 13 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Deputado federal Jair Bolsonaro

    'Brincadeira': Dodge pede que Bolsonaro explique declaração sobre 'fuzilar a petralhada'

    Wilson Dias/ Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    301613

    Líder das intenções de voto para as eleições presidenciais, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) terá de explicar o que quis dizer com a frase 'fuzilar a petralhada', proferida por ele durante um ato de campanha no fim de semana em Rio Branco, no Acre.

    O pedido de explicações foi encaminhado pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, atendendo a um pedido do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), relator de uma notícia-crime apresentada pela coligação do PT.

    "Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre. Vamos botar esses picaretas para correr do Acre. Já que gostam tanto da Venezuela, essa turma tem que ir para lá. Só que lá não tem nem mortadela. Vão ter que comer capim mesmo", afirmou Bolsonaro na ocasião.

    Na denúncia, o PT acusa Bolsonaro pelos crimes de injúria eleitoral, ameaça e incitação ao crime. Contudo, Dodge já descartou a acusação de injúria, segundo informações do jornal O Globo. Mas ela quer um esclarecimento do candidato sobre o contexto da sua fala.

    "Personificar 'petralhada', expressão usada pelo noticiado, configura elastecimento da responsabilidade penal por analogia ou por extensão, o que é absolutamente incompatível com o direito penal", escreveu a procuradora.

    Por meio de sua assessoria, Bolsonaro classificou a sua fala em Rio Branco como “uma brincadeira”. Foi o mesmo argumento que ele usou para justificar o caso de racismo pelo qual responde no STF.

    Mais:

    Bolsonaro representa perigo aos direitos humanos de minorias, diz alto comissário da ONU
    Bolsonaro frente a frente com a bancada do Jornal Nacional
    Maria do Rosário: vitória sobre Bolsonaro será de 'todas as mulheres'
    Tags:
    injúria, política, incitação, violência, Partido Social Liberal (PSL), PGR, STF, Ricardo Lewandowski, Raquel Dodge, Jair Bolsonaro, Acre, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik