08:09 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Um agente da Polícia Federal espera no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, a chegada do milionário Eike Batista, em 30 de janeiro de 2017

    Polícia Federal vai monitorar candidatos relacionados ao crime organizado no Rio

    © REUTERS / Ueslei Marcelino
    Brasil
    URL curta
    641

    A Polícia Federal vai ter um centro de cooperação e inteligência eleitoral, para monitorar e identificar candidatos que tenham relação com grupos do crime organizado que atuam no Rio de Janeiro.

    A informação é do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, que participou hoje (5), no Rio de Janeiro, da cerimônia de transferência de subordinação do porta-helicópteros multipropósito Atlântico para o Comando de Operações Navais da Marinha.

    "Da nossa parte, nós estamos concluindo um centro de cooperação e inteligência eleitoral no âmbito da Polícia Federal, para monitorar e identificar quem são esses candidatos, e ao mesmo tempo evitar que eles cheguem ao mandato e se chegarem ao mandato, sob a batuta do tribunal Superior Eleitoral, que é quem tem competência nesse caso, cassá-los e puni-los", disse Jungmann.

    Segundo o ministro, existem comunidades no Rio de Janeiro que somam 1,1 milhão de pessoas que vivem sob o controle do crime organizado, seja milícia ou tráfico.

    "Quem tem o controle do território, tem o controle do voto e elege os seus representantes. Então é preciso impedir que os representantes do crime organizado consigam se eleger. E se se elegerem, eles precisam ser cassados, precisam ser punidos. É inadmissível que o crime tenha uma representação parlamentar", disse o ministro.

    Tags:
    eleições 2018, crime organizado, Polícia Federal, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik