10:33 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Ex-presidente Lula com a senadora curitibana Gleisi Hoffmann, atual presidente do PT

    PT acusa TSE de discriminar Lula

    Ricardo Stuckert
    Brasil
    URL curta
    121610

    A presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, divulgou uma nota nesta sexta-feira acusando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de discriminação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ao incluir de última hora, na pauta da sessão extraordinária de hoje, o julgamento do seu registro como candidato à presidência.

    Segundo Gleisi, tal medida configura mais uma violência judicial contra o ex-chefe de Estado e também contra a grande maioria dos eleitores brasileiros, que pretendem votar em Lula no pleito de outubro deste ano. 

    "O julgamento feito às pressas passa por cima de ritos previstos na lei, como as alegações finais, diferentemente do que ocorreu com outras candidaturas impugnadas, como as de Geraldo Alkmin e Jair Bolsonaro, baluartes do golpe do impeachment. A defesa de Lula, protocolada ontem à noite, tem cerca de 200 páginas contendo provas e argumentos que certamente não foram lidos com a devida atenção pelos ministros, dada a evidente falta de tempo para tal", disse ela.

    Ainda de acordo com a presidente do PT, já há algum tempo, "setores do Judiciário brasileiro vêm tratando Lula de forma parcial e discriminatória, inclusive nas cortes superiores. Contra ele, tudo se torna possível, até os mais flagrantes atropelos ao direito de defesa, às normas processuais, à Constituição".

    Gleisi defende que o ex-presidente tem todo o direito de se candidatar, como determinou o próprio Comitê de Direitos Humanos das Nações Unidas, enquanto "o povo brasileiro tem o direito de votar em que melhor o representa". 

    Mais:

    TSE nega pedido para excluir Lula de pesquisas
    Fachin libera recurso de Lula contra prisão para julgamento
    Tags:
    candidatura, eleição, Luiz Inácio Lula da Silva, Lula, Gleisi Hoffmann, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik