16:49 23 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    204
    Nos siga no

    O presidente Michel Temer decretou nesta terça-feira (28) o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem no estado de Roraima por conta da crise migratória na fronteira com a Venezuela.

    “Eu decretei hoje o emprego das Forças Armadas na Garantia da Lei e da Ordem no estado de Roraima. Naturalmente para oferecer segurança para os cidadãos brasileiros e migrantes venezuelanos que fogem em busca de refúgio no Brasil. Tomei essa decisão para complementar as ações humanitárias que o governo federal promove há vários meses em Pacaraima e Boa Vista”, disse Temer. 

    De acordo com o decreto anunciado pelo governo, o emprego das Forças Armadas em Roraima será realizado entre 29 de agosto e 12 de setembro, sendo feita uma avaliação sobre a continuidade da operação militar após esse prazo.

    O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, afirmou que a medidade é para conter a crise no estado, e não para impedir a entrada de venezuelanos.

    O presidente aproveitou para criticar o regime de Nicolás Maduro, culpando o governo venezuelano pela crise no país. 

    “A onda migratória em Roraima é resultado das péssimas condições de vida a que está submetido o povo venezuelano. É isso que cria essa trágica situação que afeta quase toda a América do Sul. O Brasil respeita a soberania dos estados, mas temos de lembrar que só é soberano um país que respeita e cuida do seu povo”, acrescentou Temer.

    Mais:

    Peru declara emergência sanitária por migração da Venezuela
    Maduro adota plano que permite à Venezuela economizar em petros e ouro
    Equador abandona ALBA em resposta à crise migratória na Venezuela
    Professor avalia mudança de câmbio na Venezuela e prevê próximos passos da crise
    Tags:
    crise migratória, Forças Armadas, Michel Temer, Roraima, Venezuela, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar