21:38 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Deputado Jair Bolsonaro

    Intervenção militar: 'ídolo' de Bolsonaro, general vê semelhanças entre 2018 e 1964

    © flickr.com/ Senado Federal
    Brasil
    URL curta
    Greve dos caminhoneiros paralisa o Brasil (37)
    14410

    Comandante das tropas brasileiras no Haiti, o general da reserva Augusto Heleno consegue enxergar semelhanças entre os clamores vistos em 2018 em favor de uma intervenção militar no Brasil e a situação na véspera do golpe militar de 1964.

    "Há um crescimento exponencial desse tipo de manifestação. Não é igual a 1964, mas é semelhante, guardadas as enormes diferenças e devidas proporções. A semelhança é esse clamor popular pela intervenção militar", afirmou Heleno ao jornal Folha de S. Paulo.

    A recente greve dos caminhoneiros, que já dura nove dias e que segue causando transtornos e desabastecimento pelo país, viu também uma crescente manifestação a respeito de uma possível ação de militares para a tomada do poder, a quatro meses para as eleições.

    Para o general da reserva – tido como um nome forte para ocupar em 2019 o Ministério da Defesa em um governo liderado pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) –, embora os militares sintam-se lisonjeados pelo prestígio, a solução não passa pela caserna.

    "É um sentimento que vai crescendo na população que enxerga nos militares a solução para o problema nacional. Mas as Forças Armadas estão vacinadas, não pretendem isso, não buscam isso e de maneira nenhuma trabalham para isso", analisou.

    A ideia de uma intervenção militar hoje não seria sustentável, segundo Heleno, não em razão de uma possível mudança dos valores militares, mas sim diante de uma nova geração "que viveu o período militar" e que não quer esse "caminho esdrúxulo".

    "Ainda que se faça uma força danada para denegrir tudo o que foi feito, a imagem que ficou daquela época [ditadura] é que era um país mais organizado, que a população tinha uma vida melhor", acrescentou o general da reserva.

    Anteriormente, Heleno já declarou que Bolsonaro é o seu candidato à Presidência da República, até porque o parlamentar e ex-capitão do Exército foi seu cadete.

    Tema:
    Greve dos caminhoneiros paralisa o Brasil (37)

    Mais:

    Combustível para protestos: após caminhoneiros, petroleiros também anunciam greve
    Se Lula se candidatar será necessária intervenção militar, diz general da reserva
    Eleições 2018: bate-boca no Twitter aquece briga entre Bolsonaro e Alckmin na direita
    Tags:
    greve de caminhoneiros, política, golpe militar, ditadura militar, intervenção militar, Forças Armadas, Jair Bolsonaro, Augusto Heleno, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik