08:18 14 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Ministros anunciam acordo celebrado com entidades que representam movimento dos caminhoneiros

    Governo e caminhoneiros chegam a acordo para suspensão da greve

    © Foto : Valter Campanato/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    Greve dos caminhoneiros paralisa o Brasil (37)
    21031

    O governo brasileiro anunciou na noite desta quinta-feira que conseguiu chegar a um acordo com representantes dos protestos de caminhoneiros para suspender temporariamente a greve que assola o país há quatro dias.

    Em conversa com jornalistas, ministros do presidente Michel Temer esclareceram detalhes da negociação realizada com a categoria, cuja paralisação, em resposta aos aumentos no preço do óleo diesel, tem provocado problemas no trânsito e no abastecimento de combustíveis, alimentos, remédios e outros itens. 

    No termo de acordo assinado com membros de diversas entidades do setor, o governo federal se comprometeu a reduzir a zero a alíquota da CIDE, em 2018, sobre o óleo diesel, adotando as necessárias providências decorrentes dessa medida, e a "manter a redução de 10% no valor do óleo diesel a preços na refinaria, já praticados pela Petrobras, nos próximos trinta dias", entre outras coisas.

    A trégua firmada entre as partes deverá durar por pelo menos 15 dias.

    "Nós estamos acordando que o preço ficará fixo por 30 dias, nesse patamar proposto pela Petrobras. Vamos criar um programa de subvenção econômica. Não haverá nenhum prejuízo para a Petrobras", afirmou o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. "Como todos sabemos, a política de preço da Petrobras depende do preço internacional do petróleo e a taxa de cambio e, com isso podem ocorrer oscilações", acrescentou.

    De acordo com o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, o governo irá editar uma MP em até 15 dias para que a Conab reserve 30% dos seus fretes para autônomos. Não será promovida a reoneração das empresas de cargas e transportes.

    Durante participação em um evento em comemoração ao Dia da Indústria, em Belo Horizonte, o presidente Michel Temer celebrou o resultado da negociação feita por seus ministros, destacando a força do diálogo e prometendo "unir os caminhoneiros ao povo brasileiro". Segundo o chefe de Estado, o Planalto irá propor aos governadores tirar uma parcela do ICMS para amenizar a situação dos combustíveis. 

    Apesar do entendimento entre entidades e governo, muitos caminhoneiros se manifestaram nas redes sociais dizendo que a paralisação deve continuar. 

    • Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve
      Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve
      Divulgação PRF
    • Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve (2)
      Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve (2)
      Divulgação PRF
    • Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve (3)
      Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve (3)
      Divulgação PRF
    1 / 3
    Divulgação PRF
    Termo de acordo entre o governo federal e entidades representantes dos caminhoneiros em greve
    Tema:
    Greve dos caminhoneiros paralisa o Brasil (37)

    Mais:

    Greve dos caminhoneiros repercute nas redes: Desabastecimento, desperdício e vias fechadas
    Tags:
    caminhoneiros, paralisação, greve, Eduardo Guardia, Eliseu Padilha, Michel Temer, Minas Gerais, Belo Horizonte, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik