13:41 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Aécio Neves durante uma sessão no Senado sobre impeachment de Dilma Rousseff (foto de arquivo)

    Aécio Neves se torna oficialmente réu por corrupção e obstrução de Justiça

    © AP Photo / Eraldo Peres
    Brasil
    URL curta
    27400

    Por unanimidade, a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) resolveu acatar a denúncia contra o senador mineiro e ex-candidato presidencial, Aécio Neves. O tucano agora é oficialmente réu em ação penal e vai responder pelo recebimento de propina de R$2 mi da JBS, além de acusações de tentativas de obstruir a Lava-Jato.

    Marco Aurélio, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber, Luiz Fux e Alexandre de Moraes decidiram aceitar denúncia de corrupção passiva contra o senador mineiro Aécio Neves. Já no pedido de ação por obstrução da justiça, Moraes foi voto vencido ao ser o único a votar contra o recebimento da denúncia, sendo aprovado em 4 a 1.

    A Procuradoria Geral da República sustenta que Aécio usou o cargo de senador "para isentar investigados de crimes relativos a recursos de campanha (…), constranger e ameaçar autoridades do Poder Judiciário, do Ministério Público e da Polícia com projeto de lei de abuso de autoridade e para direcionar delegados federais para atuar em inquéritos de seu interesse”.

    Advogados de Aécio tentaram invalidar as provas obtidas com a delação da JBS, o que foi rejeitado. O caso também não foi remetido ao plenário da Corte, na qual todos os 11 ministros do STF votariam. A Defesa ainda tentou remeter parte do processo à primeira instância, mas o pedido foi negado pelos ministros.

    Além de Aécio, foram denunciados de corrupção passiva a irmã dele, Andréia Neves, o primo Frederico Pacheco, o assessor do senador Zezé Perrella (MDB-MG), Mendherson Souza Lima.

    Tags:
    Ministério Público, Poder Judiciário, Procuradoria Geral da República (PGR), JBS, Mendherson Souza Lima, Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Rosa Weber, Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Andréia Neves, Frederico Pacheco de Medeiros, Zezé Perrella, Aécio Neves, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik