16:24 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Ministro do Supremo Tribunal Federal Luís Roberto Barroso

    Temer não vai recorrer de decisão que autoriza quebra de seu sigilo bancário

    Carlos Humberto/ SCO/ STF
    Brasil
    URL curta
    2 0 0

    O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, informou nesta terça-feira (6) que o presidente Michel Temer não vai entrar com recurso da decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso de autorizar a quebra de seu sigilo bancário.

    "Não obstante o caráter evidentemente abusivo, e até absurdo dessa decisão, o presidente decide, a princípio, pelo menos até o presente momento, não recorrer dessa decisão já que não tem nada a esconder", afirmou Marun.

    O ministro convocou uma entrevista coletiva e questionou a decisão de Barroso não ter partido de um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). As informações são da Agência Brasil.

    "Teria sido uma decisão judicial tomada sem que houvesse pedido para tanto; no meu entender de advogado trata-se de uma situação absurda. Nós entendemos que quem tomou essa decisão a tomou de forma abusiva e desnecessária, haja vista a fragilidade do inquérito que não possui base fática".

    Barroso é o responsável no STF pelo inquérito que investiga o suposto favorecimento da empresa Rodrimar S/A por meio da edição do chamado Decreto dos Portos (Decreto 9.048/2017), assinado pelo presidente Michel Temer em maio do ano passado.

    Na ação, além de Temer, são investigados o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures e os empresários Antônio Celso Grecco e Ricardo Mesquita, donos da Rodrimar, empresa que atua no Porto de Santos.

     

    Mais:

    Barroso autoriza quebra de sigilo bancário de Temer
    Fachin inclui Temer em inquérito da Odebrecht na Lava Jato
    Temer cancela visita de relator da ONU que examinaria impactos da austeridade
    Michel Temer vai anunciar segunda-feira criação do Ministério de Segurança Pública
    Tags:
    Luís Roberto Barroso, Michel Temer
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik