15:01 17 Fevereiro 2019
Ouvir Rádio
    Fuzil Kalashnikov AK-47

    'Senhor das Armas' atrás das grades: Maior traficante de armas do Brasil é preso nos EUA

    © flickr.com/ brian.ch
    Brasil
    URL curta
    0 121

    A polícia dos Estados Unidos prendeu na madrugada deste sábado, na Flórida, o brasileiro Frederik Barbieri, que é considerado o maior traficante de armas do Brasil pela Polícia Civil do Rio de Janeiro. A ação impediu ainda o envio de 40 fuzis para o país.

    De acordo com informações da TV Globo, a detenção foi feita por oficiais do Serviço de Imigração e Alfândegas dos Estados Unidos (ICE).

    Barbieri é acusado pela polícia brasileira de ter enviado ao país, em maio de 2017, uma carga de aquecedores de piscina na qual estavam escondidos 60 fuzis, dos modelos AK-47, AR-10 e G3 – todos de uso exclusivo por tropas de elite.

    À época, a polícia informou que as armas, apreendidas no aeroporto internacional do Galeão, seriam entregues a traficantes na Favela da Rocinha e em favelas de São Gonçalo, na Baixada Fluminense. Tratou-se da maior apreensão de armas já feita no país em 10 anos, o que fez Barbieri ganhar o apelido de 'Senhor das Armas'.

    O criminoso estava foragido há oito anos e, de acordo com os investigadores, operava dos Estados Unidos desde 2012, quando fugiu para aquele país. Em entrevista à TV Globo no ano passado, Barbieri negou as acusações e disse que sequer gostar de armas.

    "A prisão foi muito importante para acabar com um esquema sofisticado de envio de armas de guerra dos Estados Unidos para o Brasil. Acreditamos que com a prisão de Barbieri a organização criminosa está desmantelada", afirmou ao G1 o delegado Fabricio Oliveira, da Delegacia Especializada em Armas, Munições e Explosivos (Desarme).

    Mais:

    Opinião: restrição ao comércio de armas no Brasil só beneficia bandidos
    Brasil é um dos países cobrados por não ratificar o Tratato sobre o Comércio de Armas
    Venda de armas ao Brasil: uma história com mais furos do que queijo suíço
    Tags:
    crime organizado, narcotráfico, violência, tráfico de armas, organização criminosa, Polícia Civil do Rio de Janeiro, Fabricio Oliveira, Frederik Barbieri, Rocinha, Estados Unidos, Brasil