02:27 21 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Agentes da Polícia Militar são vistos no local do acidente na praia de Copacabana, que matou uma bebê e feriu pelo menos 16 pessoas em 18 de janeiro de 2018

    Homem que atropelou multidão e matou bebê em Copacabana tinha ocultado que tem epilepsia

    © AFP 2018 / Carl de Souza
    Brasil
    URL curta
    Atropelamento massivo em Copacabana (5)
    117

    Homem que atropelou multidão e matou bebê em Copacabana ocultou epilepsia do Detran.

    O motorista que invadiu, na noite passada, o calçadão da praia de Copacabana, matando a bebê Maria Louise de Azevedo Araújo e ferindo mais 16 pessoas, sofre de epilepsia. Mas ele tinha ocultado este fato durante o seu último exame, disse O Globo.

    De acordo com o motorista, cujo nome é Antonio Almeida de Anaquim, de 41 anos, o último exame médico mostrou que ele não tem nenhuma doença neurológica, inclusive epilepsia.

    Foi o próprio Anaquim, ao ser detido pela polícia, quem alegou ter sofrido um ataque epiléptico. Esta versão foi confirmada pela mulher que estava no carro com o motorista durante o incidente.

    Mais cedo, foi anunciado que o motorista não estava nem alcoolizado, nem drogado.

    Habilitação suspensa

    Em nota citada pelo O Globo, o Detran informa que Antonio de Almeida Anaquim "teve processo de suspensão da Carteira Nacional de Habilitação [CNH] aberto em maio de 2014". No entanto, a CNH não foi devolvida, e agora o Detran-RJ já começou "o processo de cassação da CNH do cidadão" por ter dirigido sem carteira.

    A Polícia Civil qualificou o crime como homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

    Tema:
    Atropelamento massivo em Copacabana (5)
    Tags:
    acidente, Detran, Polícia Civil, Praia de Copacabana, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik