07:51 18 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Marcelo Odebrecht

    Marcelo Odebrecht deixa a cadeia e volta a viver em sua mansão

    © REUTERS / Rodolfo Burher
    Brasil
    URL curta
    701

    Nesta terça-feira, Marcelo Odebrecht, herdeiro de uma das maiores empreiteiras brasileiras e um dos pivôs do escândalo de corrupção da Lava Jato, deixou a cadeia e foi transferido para prisão domiciliar em sua mansão, em São Paulo-SP. O empresário de 49 anos estava preso em Curitiba-PR há dois anos e meio.

    Marcelo Odebrecht deixou a capital paranaense em um voo comercial utilizando uma tornozeleira eletrônica, segundo informações da AFP. Odebrecht ainda tem mais sete anos e meio de sentença para cumprir. Ele foi condenado por organizar um sistema de corrupção de políticos no Brasil para aumentar a influência e o número de contratos da Odebrecht. 

    O escândalo da Lava Jato alcançou nomes, inclusive, de aliados do presidente Michel Temer, aumentando a pressão sobre sua gestão. A investigação da Polícia Federal brasileira também teve impacto no exterior, como no caso do presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynsky, que pode enfrentar uma tentativa de impeachment esta semana devido a supostos subornos que ele teria recebido da empresa. Já no Equador, a investigação revelou o envolvimento do vice-presidente em caso semelhante, o que lhe causou uma condenação de seis anos de prisão na semana passada.

    A Odebrecht S.A. tem sido uma das empresas mais bem sucedidas do Brasil, com obras desde a arena do Miami Heat, time de basquete dos Estados Unidos, a uma represa hidrelétrica em Angola. Antes do envolvimento no escândalo, Marcelo Odebrecht era considerado um dos homens mais influentes do país.

    Mais:

    Odebrecht financiou corrupção na Venezuela com dinheiro do BNDES, diz ex-procuradora
    Chanceler brasileiro recebeu R$ 500 mil de esquema da Odebrecht, diz PGR
    Argentina bane Odebrecht de licitações por 12 meses
    República Dominicana prende envolvidos em corrupção da Odebrecht
    Tags:
    prisão domiciliar, corrupção, Polícia Federal, Lava Jato, Odebrecht, Pedro Pablo Kuczynski, Michel Temer, Marcelo Odebrecht, Curitiba, São Paulo, Peru, Equador, Angola, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar