13:30 20 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Avião bimotor, matrícula PT-IIJ, interceptado pela FAB na região de Aragarças (GO) com mais de 600 kg de cocaína

    Avião com cocaína decola da fazenda de família de ministro e é interceptado pela FAB

    PM Goiás/FotosPúblicas
    Brasil
    URL curta
    203070144

    A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou no último domingo, 25, em Goiás, uma aeronave com mais de 500 kg de cocaína. Segundo informações fornecidas pelo piloto, o avião com a droga teria partido de uma fazenda pertencente a familiares do ministro da Agricultura do Brasil, Blairo Maggi.

    Em nota oficial, a FAB explicou que o incidente ocorreu no início da tarde de ontem. Durante patrulha na região, como parte da operação Ostium, um A-29 Super Tucano identificou como suspeito um avião bimotor, matrícula PT-IIJ, e questionou o piloto. Num primeiro momento, este seguiu as orientações da defesa aérea. Mas, em seguida, se negou a pousar em um local determinado pela Força Aérea e arremeteu. Mesmo depois de um tiro de aviso do Super Tucano, o piloto do bimotor, que disse ter partido de Campo Novo do Parecis (MT) com destino à Santo Antônio do Leverger (MT), não respondeu mais às solicitações e, em vez de aterrissar no aeródromo de Aragarças, como determinava a FAB, foi pousar na zona rural do município de Jussara (GO).

    Avião com 650 kg de cocaína foi interceptado pela FAB no dia 25 de junho em Goiás
    PM Goiás/FotosPúblicas
    Avião com 650 kg de cocaína foi interceptado pela FAB no dia 25 de junho em Goiás
     De acordo com a Polícia Militar de Goiás, que também participou da operação, assim como a Polícia Federal, um helicóptero foi acionado para fazer buscas no local da aterrissagem, à procura da tripulação, que evadiu. A PM contabilizou ao todo 653,1 kg de cocaína, quantidade que corresponderia a 13 milhões de reais em valor de mercado. 

    O local de decolagem informado pelo piloto da aeronave seria a fazenda Itamarati Norte, arrendada pela Amaggi, empresa de propriedade da família de Blairo Maggi, ministro da Agricultura, que se pronunciou nesta tarde sobre o incidente:

    "O local da decolagem da aeronave na fazenda arrendada pela AMAGGI será investigado. O piloto, que está desaparecido, tem que prestar informação. O Mato Grosso é um estado continental, vulnerável à ação do tráfico internacional pelas fronteiras que possui. A fazenda Itamarati (região de Campo Novo do Parecis) arrendada pela AMAGGI é extensa e enfrenta, como o MT, a ação vulnerável do tráfico. Estou acompanhando as investigações da FAB sobre o local de decolagem da aeronave. Quando confirmado, informo", escreveu o ministro em seu Twitter

    Mais:

    Em uma praia da França surge mais de 1,5 tonelada de cocaína
    Autoridades dos EUA apreendem quase duas toneladas de cocaína em Porto Rico
    Senador foi flagrado com algo parecido com cocaína durante discurso de Dilma (VÍDEO)
    ONU confirma Colômbia no topo da lista de produtores de cocaína
    Candidato a prefeito é preso com 200 kg de cocaína na Colômbia
    Efeitos do tráfico: 90% das cédulas de real em circulação no Rio têm traços de cocaína
    Tags:
    drogas, cocaína, avião, Itamarati, Amaggi, Ministério da Agricultura do Brasil, PM, Polícia Militar, Força Aérea Brasileira (FAB), Polícia Federal, Blairo Maggi, Santo Antônio do Leverger, Campo Novo do Parecis, Mato Grosso, Goiás
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik