13:36 05 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    1503
    Nos siga no

    Desde janeiro deste ano, 5.787 pedidos de venezuelanos para obter refúgio no Brasil, por meio da fronteira com Roraima, chegaram à Polícia Federal (PF), o que é mais do que o dobro do registrado no ano passado, quando a PF recebeu 3.500 pedidos no ano todo – um aumento de 159%.

    Os dados da PF foram publicados pelo G1 e ajudam a entender os efeitos da grave crise política e econômica que vive o país vizinho.

    Enquanto muitos venezuelanos buscam abrigo no Brasil, abarrotando de pedidos a sede PF em Boa Vista, o presidente da Venezuela Nicolás Maduro tenta promover uma reforma jurídica no país sul-americano, em meio a pressões da oposição e da comunidade internacional.

    De acordo com a PF, desde 2015 a corporação vem recebendo um número cada vez maior de pedidos de refúgio feitos por venezuelanos que querem deixar o país. Naquele ano foram 230 pedidos, contra apenas nove em 2014.

    Em todo o Brasil, o Ministério da Justiça registrou até maio deste ano 8.231 solicitações de refúgio feitas por venezuelanos. É um número muito diferente dos 3.375 que fizeram o mesmo pedido em 2016.

    A situação causou problemas para a PF em Roraima, que está trabalhando acima da sua capacidade. De acordo com o governo estadual, mais de 30 mil venezuelanos cruzaram a fronteira desde o ano passado, o que significa que há uma boa parcela de ilegais em território brasileiro.

    O pedido de refúgio é uma alternativa mais rápida para a regularização da situação de um estrangeiro no Brasil. Contudo, é preciso que cada caso seja analisado pelo Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), o que pode levar tempo.

    Mais:

    Xenofobia: Militantes arrecadam dinheiro para sabotar salvamentos de refugiados na Europa
    'Nova Guerra da Coreia' poderia gerar crise de refugiados de grandes proporções na Ásia
    Jovens refugiados se veem obrigados a se vender na Alemanha
    Tags:
    imigração, refugiados venezuelanos, refugiados, Ministério da Justiça, Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE), Polícia Federal, Nicolas Maduro, Roraima, Brasil, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar