19:23 18 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Michel Temer e Aécio Neves em foto com o senador Renan Calheiros (arquivo)

    Ministro Fachin divide investigações de Michel Temer e Aécio Neves

    Antonio Cruz/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    4 0 0

    O ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu hoje separar em dois o inquérito envolvendo o presidente da República, Michel Temer, e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), ambos delatados pelos donos do grupo JBS.

    O parlamentar mineiro, afastado do cargo por Fachin, é suspeito de corrupção passiva, obstrução de investigação relacionada a organização criminosa e participação em organização criminosa. Ele passará a ser investigado em um inquérito junto com sua irmã, Andrea Neves, e seu primo, Frederico Pacheco de Medeiros, presos preventivamente no último dia 18. Já Temer, contra quem pesam as mesmas suspeitas, será investigado junto com o deputado Rocha Loures (PMDB-PR), seu intermediário para assuntos com a JBS. 

    Um pedido para desmembrar o inquérito, no qual todos eram investigados em conjunto, foi feito pela defesa de Michel Temer na semana passada. Seus advogados queriam uma investigação separada para o presidente e o sorteio de um novo relator. 

    Mais:

    Ministro Fachin nega prisão de Aécio e STF só vai analisar pedido com recurso
    Defesa de Aécio diz que STF romperá com princípios constitucionais se prender o senador
    Possível sucessão antecipada de Michel Temer divide o Congresso
    Tags:
    JBS, STF, Luiz Edson Fachin, Frederico Pacheco de Medeiros, Andrea Neves, Rodrigo Rocha Loures, Michel Temer, São Paulo, Minas Gerais, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar