06:27 22 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Michel Temer durante uma cerimônia dedicada ao Bolsa Família em 29 de junho de 2016

    Temer sobre Joesley: ‘Ele está triste com o ser humano’, diz advogado de defesa

    © REUTERS / Adriano Machado
    Brasil
    URL curta
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (69)
    1906
    Nos siga no

    O advogado de defesa do presidente Michel Temer (PMDB), Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, afirmou no fim da tarde deste sábado que o peemedebista está “triste” com a atitude do empresário Joesley Batista, dono da JBS e autor do áudio que colocou pressão sobre o peemedebista.

    O advogado de defesa do presidente Michel Temer (PMDB), Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, afirmou no fim da tarde deste sábado que o peemedebista está “triste” com a atitude do empresário Joesley Batista, dono da JBS e autor do áudio que colocou pressão sobre o peemedebista.

    “O presidente está muito triste e muito decepcionado até com o homem, com o ser humano, porque um determinado amigo dele entre aspas tecendo comentários caluniosos, não verdadeiros, e isso trouxe a ele grande mágoa. Mas continua sereno e tranquilo”, afirmou Mariz à Rádio Guaíba.

    A revelação de bastidor feita pelo advogado veio pouco depois do mais recente pronunciamento feito por Temer em Brasília. Nele, o presidente questionou a suposta edição e manipulação do áudio da sua conversa com Batista, e informou que pediria a perícia por parte do Supremo Tribunal Federal (STF).

    Mariz protocolou uma petição direcionada ao relator da Operação Lava Jato, ministro Edson Fachin, já na tarde deste sábado. Ela deve ser analisada a partir de segunda-feira. Todavia, Fachin já havia considerado a gravação legal em uma manifestação no fim da semana.

    No áudio, Temer é suspeito de ter dado aval a Batista para prosseguir com pagamentos ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e ao operador Lúcio Funaro, em troca do silêncio dos dois. Foi o que o dono da JBS relatou em sua delação premiada, a qual gerou o pedido de investigação por parte da Procuradoria-Geral da República (PGR).

    Questionado se Temer e Batista seriam amigos próximos, Mariz contemporizou e disse não ter certeza. Ao mesmo tempo, o advogado de defesa exaltou que o empresário não tem “nenhuma credibilidade”, pois teria manipulado mais do que a gravação: Batista teria manipulado as autoridades e o mercado financeiro para seguir em liberdade.

    “Eu não sei se era amigo próximo. O presidente já havia recebido ele. O presidente sempre recebeu empresários. Talvez ele tenha recebido por alguma razão que nós não sabemos ou algum fato específico do governo. Mas na verdade esse tipo de diálogo não significa que o presidente tenha que ser acusado por um homem que não merece credibilidade”.

    Por enquanto, a defesa de Temer não planeja processar Batista pelas acusações contra o presidente.

    Tema:
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (69)

    Mais:

    Plenário do STF avaliará pedido de Temer para suspender inquérito na quarta-feira
    Janot pede continuidade da investigação contra Temer
    Áudio de Temer foi editado e defesa do presidente reage: 'Gravíssimo'
    Jornal que revelou áudio pede a renúncia de Michel Temer
    Tags:
    política, Supremo Tribunal Federal (STF), Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, Joesley Batista, Michel Temer, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar