11:58 21 Outubro 2017
Ouvir Rádio
    Michel Temer, presidente do Brasil, foi acusado em delação dos donos da JBS S.A.

    Delatores afirmam ter gravado Temer comprando silêncio de Eduardo Cunha

    Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil/FotosPúblicas
    Brasil
    URL curta
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (69)
    362306312

    Representantes do grupo JBS afirmaram ter gravado o presidente Michel Temer (PMDB-SP) dando sinal verde para a compra do silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) depois que este foi preso no âmbito da operação Lava Jato.

    A informação foi divulgada nesta quarta-feira pela jornal O Globo. Segundo o colunista Lauro Jardim, os donos da empresa produtora de proteína animal, Joesley Batista e Wesley Batista, disseram ao ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), e à Procuradoria-Geral da República (PGR), que Temer teria pedido a eles em março para manter uma suposta mesada dada a Cunha e ao seu operador, Lúcio Funaro, para que os dois ficassem calados na prisão. Não ficou claro, no entanto, que tipo de informação comprometedora o deputado cassado e ex-presidente da Câmara, que favoreceu a JBS quando estava no cargo, poderia ter contra o chefe de Estado.

    Ainda de acordo com a delação dos irmãos Batista, há também uma polêmica gravação envolvendo o senador Aécio Neves (MG), presidente do PSDB, na qual ele pede a Joesley R$ 2 milhões, dinheiro que foi entregue a um primo de Aécio e em seguida depositado numa empresa do senador Zeze Perrella, também do PSDB mineiro. A entrega desse valor foi filmada pela Polícia Federal.

    Os acusados ainda não se pronunciaram sobre a notícia.

    Tema:
    Michel Temer e o silêncio de Eduardo Cunha (69)
    Tags:
    corrupção, PMDB, PSDB, JBS, Zeze Perrella, Luiz Edson Fachin, Lúcio Funaro, Eduardo Cunha, Wesley Batista, Joesley Batista, Michel Temer, Brasília, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik