01:06 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Baleia azul

    Senador quer ajuda da Rússia para esclarecer o 'Desafio da Baleia Azul'

    © Foto: Pixabay / CC0 Public Domain
    Brasil
    URL curta
    Baleia Azul assassina: a brincadeira que virou caso de saúde pública (8)
    7182453

    O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou nesta segunda-feira que deve convidar representantes da Embaixada da Rússia no Brasil para colaborarem com a CPI dos Maus Tratos Infantis, que está em andamento no Senado. A ideia envolve entender o que há por trás do chamado ‘Desafio da Baleia Azul’, que vem assustando crianças e adultos pelo país.

    De acordo com Malta, que foi o autor do requerimento para a abertura da CPI acerca da violência conta crianças, a ideia é convidar pessoas que possam colaborar com as discussões e investigações sobre o jogo virtual, que propõe 50 tarefas em 50 dias e, ao final, sugere que o participante tire a própria vida.

    “Precisamos avançar em uma legislação preventiva e agora aparecem essas duas coisas terríveis na Internet, que é o jogo da Baleia Azul, com crianças se matando no mundo inteiro, se suicidando, saltando de prédio, uma coisa louca isso aí. E por trás disso temos elementos que são prepostos: o jogo é russo e nós precisamos tratar com essas embaixadas, com esses ministérios de Justiça como fiz na CPI da Pedofilia que quebrei o sigilo do Google”, disse Malta à rádio Senado.

    A origem do desafio foi em uma rede social russa e especulou-se à época que entre 100 a 130 mortes de crianças e adolescentes na Rússia poderiam ter vinculação com jogo virtual. Outros países registraram casos de automutilação e até mortes que podem ter vínculo com o Baleia Azul, inclusive o Brasil, no qual pelo menos oito estados investigam casos relacionados ao tema.

    Para o senador, a CPI vai auxiliar a polícia e o Ministério Público (MP) a avançarem com investigações que, de acordo com Malta, muitas vezes ficam paradas pela morosidade do Poder Judiciário e a sua “seletividade”. Ele relembrou outra a CPI, a da Pedofilia, que ajudou na agilidade de apurações de crimes contra crianças dentro e fora do Brasil.

    “São coisas absurdas que já temos [conhecimento]. Além dos muitos processos e inquéritos que já estão no Ministério Público, muita coisa de pedófilo que está na Justiça não anda, e uma CPI se torna um braço do MP e desses delegados, porque ele pede uma quebra de sigilo e o juiz não dá. Essas coisas ficam muito seletivas. CPI tem poder de polícia e de Justiça, ela quebra sigilo, ela convoca, ela traz coercitivamente, então ele exerce um papel importantíssimo para fazer essas investigações andarem”.

    Há a possibilidade da CPI desembocar em propostas que levem a uma criminalização mais ampla de crimes como os fomentados pelo Desafio da Baleia Azul. A participação de especialistas, tanto brasileiros quanto estrangeiros, poderá ajudar nos trabalhos que pretendem identificar e combater “crimes transnacionais”, como comentou Malta.

    As indicações dos sete membros da CPI dos Maus Tratos Infantis acontece na próxima terça-feira, segundo o senador.

    Tema:
    Baleia Azul assassina: a brincadeira que virou caso de saúde pública (8)

    Mais:

    Outro lado: 'Desafio da Baleia Rosa' estimula jovens e adultos para boas ações
    'Desafio da Baleia Azul' avança no Brasil e reacende debate sobre o suicídio (VÍDEO)
    Tags:
    pedofilia, cpi dos maus tratos infantis, CPI, juventude, suicídio, desafio da baleia azul, baleia azul, Senado, Magno Malta, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik