00:37 26 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Blairo Maggi, apresenta relatório produzido pela força-tarefa do Mapa sobre a Operação Carne Fraca

    Análise de carnes recolhidas em frigoríficos investigados não indica riscos à saúde humana

    Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    A batalha da 'carne fraca' (31)
    712102

    O Ministro da Agricultura Blairo Maggi fez um balanço das análises realizadas nas 174 amostras de carne recolhidas nos 21 frigoríficos investigações na Operação Carne Fraca da Polícia Federal.

    Segundo Blairo Maggi, foram produzidos 12 laudos e que até agora as análises feitas descartam riscos à saúde humana.

    "Não há até esse momento, em tudo o que nós recolhemos. Dos 12 laudos, das 174 amostras recolhidas qualquer tipo de anormalidade que possa fazer mal à saúde humana no consumo desses produtos."

    Blairo Maggi também comentou a situação de mais três frigoríficos alvos da Operação Carne Fraca que foram interditados na segunda-feira (27),  no Paraná. 

    O Ministro da Agricultura explicou que um deles estavam incluindo uma porcentagem  de amido maior do que o normal  na fabricação de salsichas. Outro apresentou produtos com validade vencida na fabricação de ração animal e um terceiro que produz laticínios não abriu as portas para a inspeção dos fiscais do ministério. 

    No último fim de semana, três de 15 países suspenderam as restrições à compra da carne brasileira; Chile, Egito e China. Blairo Maggi informou que toda a mercadoria produzida nos últimos dias vai ser embarcada sem prejudicar a interrupção da comercialização da carne no mercado internacional e sem causar um problema de armazenamento das mercadorias no Brasil.

    "A nossa preocupação nesse momento era que se tivesse permanecido, tivesse dado continuidade a essa suspensão temporária aí sim nós teríamos grande problema, porque nós não tínhamos onde estocar as mercadorias. É importante e por isso a nossa pressa em buscas essas autorizações para fazer os embarques, que possamos fazer a emissão dos certificados para fazer a exportação, é justamente para poder dar liquidez."

    O ministro da Agricultura ainda ressaltou a importância de se restabelecer a confiança do consumidor brasileiro além do mercado externo, que tem recebido todas as informações solicitadas. Blairo Maggi destacou que as empresas investigadas não têm recebido o certificado de exportação, o que dá mais garantia aos compradores de fora do Brasil. "Nossa imagem foi muito atacada e a gente não pode esquecer que concorrentes querem que mercados sejam abertos para eles", lembrou o ministro. 

    Nesta terça-feira (28), Blairo Maggi recebe o comissário para Saúde e Segurança Alimentar da União Europeia, Vytenis Andriukaitis. A agenda já estava marcada, desde antes da operação Carne Fraca, mas será, segundo o ministro da Agricultura, uma oportunidade de esclarecer tudo o que for necessário e recuperar a comercialização de carnes brasileiras com a União Europeia. "É um momento que deve ser aproveitado", afirmou. 

    Tema:
    A batalha da 'carne fraca' (31)
    Tags:
    frigoríficos, fiscalização sanitária, operação carne fraca, qualidade, interdições, riscos, saúde, Ministério da Agricultura do Brasil, Vytenis Andriukaitis, Blairo Maggi, UE, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik