09:11 23 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    A Operação Pripyat apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Usina de Angra 3 pela Eletronuclear

    Ex-dirigentes da Eletronuclear são denunciados por lavagem de R$ 2,3 mi de Angra 3

    Divulgação/Eletronuclear
    Brasil
    URL curta
    629951

    O Ministério Público Federal (MPF) denunciou cinco ex-dirigentes da Eletronuclear e dois sócios da VW Refrigeração, por crimes de lavagem de dinheiro que somam mais de R$ 2,3 milhões.

    A denúncia apresentada pelo MPF teve como base as investigações da Operação Pripyat, um desdobramento da Operação Lava Jato, que apura crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Usina de Angra 3 pela Eletronuclear.

    Pelas investigações da força-tarefa da Lava Jato no Rio de Janeiro, os ex-dirigentes são acusados de movimentar e encobrir a origem de recursos que eram destinados às obras da Usina.

    A denúncia aponta que foram feitos pelo menos 27 saques não identificados, além de depósitos no período entre 2010 e 2016 nas contas dos executivos, que já tinham sido antes denunciados por corrupção.

    Todos os executivos estão presos preventivamente no presídio Bangu 8, na Zona Oeste do Rio. 

     

    Tags:
    Usina Nuclear Angra 3, executivos, denúncia, obras, corrupção, Operação Lava Jato, lavagem de dinheiro, Operação Pripyat, Eletronuclear, MPF, Angra dos Reis, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik