18:26 21 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Lula chega para depor em ação na Lava Jato

    Lula: 'O senhor sabe o que é acordar todo dia achando que vou ser preso?'

    Marcelo Camargo/Agência Brasil
    Brasil
    URL curta
    2235912

    Em depoimento nesta terça-feira, 14, em Brasília, na 10ª Vara Federal de Brasília, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou as acusações de que tenha tentado obstruir as investigações da Operação Lava Jato, convencendo o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró a não participar da delação premiada sobre casos de corrupção na Petrobras.

    No depoimento de uma hora, Lula afirmou que vem sendo vítima de um massacre midiático, que não conhecia Cerveró, assim como, durante seus dois mandatos, jamais deu ou recebeu dinheiro de políticos ou empresários, tendo passado oito anos de seu governo sem ir a festas e aniversários justamente para evitar constrangimentos de pedidos de favor. O ex-presidente é réu ao lado de outros sete envolvidos em acusações de obstrução à operação da Polícia Federal. São acusados o senador Delcídio do Amaral (sem partido-MS), Diogo Ferreira, ex-chefe de gabinete de Delcídio, o banqueiro André Esteves (sócio do BTG Pactual), o advogado Edson Ribeiro, o pecuarista José Carlos Bumlai e seu filho Maurício Bumlai.

    Em um momento do depoimento, Lula chegou a desabafar com o juiz Ricardo Soares Leite:

    "O senhor sabe o que é o senhor acordar todo dia achando que a imprensa está na porta de sua casa porque eu vou ser preso? Estou cansado de ver procurador dizer que não precisa de provas, que tem convicção; de juiz dizer 'eu não preciso de provas, eu vou votar com fé'. Eu quero prova. Alguém tem que me dizer que crime eu cometi", afirmou Lula, que se disse pessoalmente desapontado com Delcídio por tê-lo acusado de ter tentado comprar o silêncio de Cerveró.

    Para o analista político Nilson Mello, diretor da Consultoria Meta e Comunicação, o que Lula poderia apresentar nesse depoimento foi o que ele fez: exigiu da Justiça provas e não apenas acusações, em uma retórica apropriada para o momento que enfrenta.

    "O que a gente também precisa considerar, do ponto de vista político, é a circunstância de que Lula, dentro de seus oito anos de governo, teve vários ministros devidamente processados com provas na Justiça, estão condenados, atrás das grades com penas pesadas. Temos que considerar também que vários integrantes da cúpula do PT foram processados com provas suficientes e também condenados a penas pesadas. Há amigos do presidente que estão respondendo na Justiça. A gente também deve questionar o seguinte: como o presidente da República estava cercado de ministros que cometeram desvios e estão presos, a cúpula do partido está atrás das grades e ele podia não saber de nada e estar totalmente isento de responsabilidade nos desvios dos oito anos de seu governo e da sua sucessora?"

    Mais:

    PT denuncia requinte de ódio na perseguição a Lula
    Justiça do DF aceita denúncia contra Lula na Operação Zelotes
    Tags:
    desvios, condenação, prisões, delação premiada, Operação Lava Jato, justiça, PT, Petrobras, Polícia Federal, Nilson Mello, José Carlos Bumlai, Edson Ribeiro, André Esteves, Diogo Ferreira, Delcídio do Amaral, Nestor Cerveró, Lula, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik