16:03 16 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Maracanã

    Legado Olímpico: Maracanã não tem dinheiro nem para pagar o fornecimento de luz

    © AFP 2019 / TASSO MARCELO
    Brasil
    URL curta
    850

    Acúmulo de dívidas força a concessionária Light a cortar a distribuição de energia elétrica no estádio palco das emblemáticas cerimônias de abertura e encerramento do Rio 2016.

    Os Jogos Olímpicos se foram, as contas ficaram e agora não resta dinheiro nem para manter o funcionamento de luz. É assim a situação do Maracanã com a concessionária Light, que fornece energia elétrica no estado do Rio de Janeiro.

    Segundo comunicado da empresa, a luz do estádio foi cortada por falta de pagamento. Na tentativa de resolver a situação, o Comitê Rio-2016 ainda tenta renegociar faturas dos meses de setembro e outubro do ano passado, período em que o estádio estava sob a batuta da organização das Olimpíadas.

    Quanto as contas de novembro e dezembro, responsabilidade da Odebrecht (que administra o Consórcio Maracanã), nenhuma satisfação foi dada ainda. Isso porque há divergências judicializadas sobre quem vai assumir o estádio. O consórcio se nega a retomar a administração, alegando que o Comitê Rio-2016 não cumpriu obras previstas em contrato. O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro chegou a expedir a liminar obrigando a Odebrecht a arcar com a administração, mas a empresa insiste em não cumprir a ordem e diz que vai recorrer.

    A Light informou que a dívida total do estádio com a concessionária é de mais de R$3 mi, R$1,7 mi desses a cargo da Rio 2016. Até que a briga se arraste, o Maracanã permanecerá no escuro.

    Mais:

    Peru e Brasil assinam acordo de cooperação em investigação sobre Odebrecht
    Odebrecht pagará US$59 milhões ao Panamá por escândalo de corrupção
    Chefe da Inteligência argentina é investigado em caso relacionado à Odebrecht
    Tags:
    Rio 2016, Olimpíadas, Jogos Olímpicos, Light, Consórcio Maracanã, Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Odebrecht, Rio de Janeiro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar