17:16 21 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Com a economia de moedas e notas a família foi curtir as praias de Maceió, no Nordeste do Brasil

    Família dribla crise e garante viagem de férias juntando moedas

    Monique Cleto/Arquivo Pessoal
    Brasil
    URL curta
    340
    Nos siga no

    Mesmo com a crise financeira no país os brasileiros sempre tentam arrumar uma forma de driblar a falta de dinheiro para tentar se divertir. Uma família de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio conseguiu curtir férias viajando para o Nordeste sem comprometer a renda mensal juntando moedinhas.

    A família conseguiu juntar cerca de R$ 6 mil, em moedas acima de R$ 0,25 e notas de até R$ 5 que economizaram durante dois anos e meio em cofres improvisados em garrafas pet e uma caixa.

    Em entrevista exclusiva para a Sputnik, a recepcionista Monique Cleto, de 37 anos explicou que teve a ideia de começar a juntar as moedas e notas depois de receber uma dica da mãe, que já fazia economias de moedas para pagar o IPVA do carro dela.

    "Essa ideia começou através da minha mãe. Ela junta moedas o ano inteiro para poder pagar o IPVA do carro dela em janeiro, e ela sempre me falava que fizesse esse tipo de economia também para poder pagar o meu IPVA do carro, mas eu nunca dei importância, até que um dia eu comecei a juntar."

    A família guarda as moedas acima de R$ 0,25 em garrafas pet e as notas até R$ 5 em uma caixa e depois levou para o banco
    Monique Cleto/Arquivo Pessoal
    A família guarda as moedas acima de R$ 0,25 em garrafas pet e as notas até R$ 5 em uma caixa e depois levou para o banco

    A ideia inicial da recepcionista era garantir um local para brincar o carnaval, mas o marido a convenceu a usar os R$ 6 mil economizados em uma viagem para a família. A economia nos cofrinhos foi tão boa, que a família conseguiu viajar pela primeira vez de avião com destino a Maceió, onde passaram sete dias e oito noites na cidade.

    "Já próximo ao final do ano, eu gosto muito de carnaval e falei para meu marido que visse com nossos amigos um local para podermos passar o carnaval, mas ele disse que seria melhor que fôssemos viajar ao invés de alugar uma casa para o carnaval, e eu acabei gostando da ideia. Só que se passaram 2 anos e meio comigo juntando as moedas e as notinhas de R$ 2 e R$5 e quando nós resolvemos tirar férias e acertar um pacote com tudo, vimos que tínhamos dinheiro suficiente para comprar um pacote para família, eu, meu esposo e nossa filha e também para nos manter lá."

    Júlia Paiva, Monique Cleto e Raphael Paiva  passeando em Maceió
    Monique Cleto/Arquivo Pessoal
    Júlia Paiva, Monique Cleto e Raphael Paiva passeando em Maceió

    Monique explicou que no começo só ela guardava o troco da padaria, farmácia e de qualquer compra que fazia e o marido não acreditava que iam conseguir juntar tanto dinheiro para tirar férias. "Eu ia na padaria para comprar pão, aí me sobravam R$ 3, uma nota de R$ 2 e uma moeda de R$ 1, eu então não gastava, eu juntava. A mesma coisa eu fazia com troco de farmácia e de ônibus, tudo eu ia juntando. Eu acabei traçando uma meta na minha vida. No início era somente eu, porque o meu marido não acreditava e dizia que ia demorar muito para que nós pudéssemos fazer essa viagem, porque notas de R$ 2 e R$ 5 não renderiam muito. Só que é aquele negócio, é de grão e grão que a galinha enche o papo."

    A recepcionista afirma que se não tivesse economizado a família nunca teria condições de pagar por um passeio como o que fizeram.

    "Eu queria muito viajar, mas eu não tinha como tirar o dinheiro das despesas para pagar essa viagem, então eu resolvi juntar para custear essa viagem. Eu acredito que se não fosse assim não ia conseguir, porque é um custo muito alto, ainda mais que nós somos três."

    A família  conseguiu o dinheiro para a passagem e para se manter em Maceió
    Monique Cleto/Arquivo Pessoal
    A família conseguiu o dinheiro para a passagem e para se manter em Maceió

    Apesar do marido agora estar desempregado, Monique Cleto afirma que mesmo assim a família vai continuar guardando as moedinhas e pequenas notas já de olho nas próximas férias. "Meu marido agora se encontra desempregado, e por isso nós demos uma diminuída, mas após a viagem de Maceió ele viu que dava certo e passou a me ajudar. Agora nós continuamos juntando só que não com a mesma frequência. Eu já troquei muitas notinhas, já estourei duas garrafas de pet minhas e vou estourar a terceira, o dinheiro está todo guardado no banco e eu dependo agora das minhas férias saírem no trabalho, saindo e eu vejo que vai dar para nós irmos, nós vamos nos programar para ir sim."

    Com o cofrinho de moedas a família teve a oportunidade de viajar de avião pela primeira vez
    Monique Cleto/Arquivo Pessoal
    Com o cofrinho de moedas a família teve a oportunidade de viajar de avião pela primeira vez

    Para quem quer garantir também uma viagem de férias ou qualquer outro sonho material, Monique diz que a grande dica é ter força de vontade  e estipular uma meta. "A pessoa tem que ter uma meta e foco, tem que ter muita força de vontade. Se a pessoa tiver essa disciplina para alcançar aquele objetivo ela consegue. Eu super indico. Como eu consegui viajar, eu posso utilizar o dinheiro em outras coisas também, não é só viagem, eu também posso juntar para dar entrada em um carro."

     

     

    Tags:
    juntar, moedas, cofre, férias, viagem, economia, Monique Cleto, Maceió, São Gonçalo, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar