13:51 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Dilma discursa na Universidade portenha

    Sob aplausos, Dilma é homenageada em Universidade na Argentina

    Divulgação/UMET
    Brasil
    URL curta
    4213171410

    A ex-presidenta Dilma Rousseff esteve em Buenos Aires, na Argentina onde foi homenageada com o título de Doutora Honoris Causa concedido pela Universidade Metropolitana para a Educação e o Trabalho (UMET).

    Sob muitos aplausos, bandeiras de verde e amarelo e cartaz com dizeres, como #VoltaQuerida, Dilma foi recebida calorosamente por militantes e organizações sociais e falou sobre a justiça social, a democracia e a luta das mulheres na América Latina.

    Em discurso, a ex-presidenta ressaltou o importante papel dos governos do PT com Lula e ela, onde promoveram uma maior integração e cooperação entre as nações do continente. "Os países da América Latina passaram a ser prioridade de nossas relações durante os nossos governos," ressaltou Dilma.

    Manifestante com cartaz de apoio a ex-presidenta Dilma Rousseff
    Divulgação/Clacso
    Manifestante com cartaz de apoio a ex-presidenta Dilma Rousseff

    Sobre a atual situação do Brasil, especialmente após as delações premiadas da Odebrecht, e a possibilidade de uma eleição indireta no Brasil, caso o presidente Michel Temer renuncie o seja cassado, Dilma classificou a situação como sendo um golpe dentro do golpe. 

    "Com o golpe de 1964 ocorreu algo parecido, ele só se concretizou mesmo em 13 de dezembro de 1968 [data do Ato Institucional-5]. Também agora estamos vendo um longo processo de golpes, que começaram com a minha saída por meio de um impeachment fraudulento," analisou.

    Ao falar sobre a democracia, a petista afirmou que o processo que vive hoje o Brasil é um "ataque de fungos e parasitas que está corroendo nossa democracia." Dilma ainda ressaltou que "o Mercosul aplica hoje a cláusula democrática a governos democraticamente eleitos e não a governos golpistas." 

    Dilma falou sobre a luta das mulheres latino-americanas e fez uma convocação para que todas se unam nas ruas contra o machismo, luta que segundo ela viveu de perto durante todo o seu mandato. "Podemos ser diferentes, mas não desiguais", disse Dilma.

    Além do auditório da UMET lotado, do lado de fora milhares de militantes também acompanhavam a apresentação de Dilma Rousseff na rua, através de um telão gigante.

    Do lado de fora militantes acompanhavam na rua o discurso de Dilma em um telão
    Divulgação/Clacso
    Do lado de fora militantes acompanhavam na rua o discurso de Dilma em um telão

     

    Tags:
    machismo, homenagem, democracia, UMET, Dilma Rousseff, Argentina, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik